Presidente da OAB sugere afastamento de desembargadora do TRE

O presidente da Ordem dos Advogados de Mato Grosso do Sul (OAB), Mansour Karmouche, disse que a entidade entende que a presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Tânia Borges, que é investigada pelo Conselho Nacional de Justiça e Procuradoria-Geral da República por suspeita de tentar interferir em julgamento de processo a pedido de um policial militar preso por corrupção, deve se afastar da direção do órgão. Segundo Mansour, é uma forma de segurança para as investigações até que tudo seja esclarecido.

Desembargadora Tânia Borges

“A entidade entende que ela deveria se afastar nesse momento de crise para apurar os casos. É uma forma até de preservar ela mesmo para que a investigação possa ocorrer com naturalidade e isso, traz uma segurança para o processo. Caso ela não se afaste, vamos entrar com medidas necessárias para o afastamento”, explica.

Segundo investigação, troca de mensagens encontradas no celular do tenente-coronel Admilson Cristaldo, preso por corrupção, apontam que o oficial pediu interferência de Tânia em julgamento de processo no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) envolvendo o amigo dele, o advogado e chefe do Departamento Jurídico do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS), Dênis Peixoto Ferrão Filho.

O advogado de Tânia Borges, André Borges, nega que ela trocado mensagens com o oficial preso por corrupção. A defesa de Admilson Cristado também afirma que ele é inocente.

INVESTIGAÇÕES

Além de presidir o TRE, Tânia é cotada para assumir o TJMS ainda este ano, em meio a uma série de ações que a tornaram alvo de investigações. Ontem, o Jornal Nacional exibiu matéria em que explicou como o Gaeco investiga a desembargadora, suspeita de ligação com cigarreiros. Ela usava a influência para negociar sentenças em benefício de contrabandistas.

A participação de Tânia será investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Corregedoria do Tribunal de Justiça e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), já avisados do caso. Segundo a emissora, Tânia aparece em mensagens com o tenente-coronel da Polícia Militar Admilson Cristaldo Barbosa supostamente negociando algum tipo de influência em julgamento de amigo do advogado Dênis Peixoto Ferrão Filho, por corrupção.

Barbosa é um dos PMs presos em operação que prendeu integrantes da corporação acusados de envolvimento com quadrilha de contrabandistas de cigarro e outros objetos. Ferrão, chefe do departamento jurídico do Tribunal de Contas do Estado, é denunciado por lavagem de dinheiro. Tânia também é investigada pelo CNJ por usar da função para tentar favorecimento ao filho, Breno Borges, preso por tráfico de drogas.

Comentários