Comissão vai propor novo macroanel em Campo Grande

Liderando uma comitiva de empresários e técnicos, o vereador Mario Cesar (PMDB), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, viaja nesta quinta-feira (2), junto do também vereador Carlão (PSB), para Brasília (DF), onde farão reunião com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o secretário-executivo no Ministério dos Transportes, Edson Giroto, buscando alterações na duplicação da BR-163. A bancada federal de Mato Grosso do Sul foi convidada para participar, com presenças confirmadas dos deputados federais Elizeu Dionizio (SD) e Tereza Cristina (PSB), além do presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul (CAU/MS), Osvaldo Abrão de Souza.

Motivo da ida é para primeiramente deixar claro que nem a população e muito menos os empresários estão satisfeitos com o projeto atual
Motivo da ida é para primeiramente deixar claro que nem a população e muito menos os empresários estão satisfeitos com o projeto atual

Segundo Mario Cesar, durante entrevista ao programa Capital Meio Dia da FM Capital, o motivo da ida é para primeiramente deixar claro que nem a população e muito menos os empresários estão satisfeitos com o projeto atual. “Existem poucas intervenções no perímetro, como rotatórias e passarelas. Isso vai dividir a cidade em dois. Além do mais, os acessos para as empresas não estão garantidos, podendo afetar a economia dos locais onde a duplicação vai passar”, explica.

O distrito de Anhanduí também tem se mobilizado para pedir mudanças no projeto, que pode inclusive acabar com as tradicionais barracas na beira da rodovia. “Precisamos de mais intervenções para podermos ter acesso de um lado para outro. Concomitante a isso, temos o comércio. Não podemos isolá-los, colocar num canto qualquer, pois isso está destinado ao fracasso”, completa Mario Cesar.

Na última sexta-feira o vereador e empresários estiveram reunidos com a concessionária CCR MSVia, empresa que venceu a licitação para a duplicação da BR-163. “Fomos muito bem recebidos, mas infelizmente foi a primeira vez que tivemos algum acesso ao projeto, mesmo com audiências públicas realizadas para discutir o tema. Apesar disso, o encontro foi muito importante para nos nortear em Brasília”, finaliza o presidente da Câmara.

A rodovia foi privatizada em 2014. A CCR tem direito de administrar a BR-163, que tem 1.780 km de extensão, por 25 anos. A duplicação teve início em julho do ano passado, e nos cinco primeiros anos, estão previstos investimentos na ordem de R$ 3,4 bilhões (valores de janeiro de 2014) para a realização de obras. O valor representa mais de 60% do total de R$ 5,5 bilhões a serem investidos até o final da concessão.

Comentários

comentários