Presidente da Câmara diz desconhecer pedido do MPE sobre investigação

O Corregedor-Geral do Ministério Público Estadual, Mauri Valentim Riciotti recomendou à Câmara Municipal de Campo Grande abertura de comissão processante para investigar o presidente da Casa, o vereador Mario Cesar (PMDB).

Presidente da Câmara Mário César
Presidente da Câmara Mário César

Segundo o procurador, elementos do inquérito da Operação Lama Asfáltica indicam quebra de decoro praticado pelo parlamentar. A recomendação de Riciotti é direcionada ao Promotor de Justiça Paulo Henrique Camargo Iunes.

É pedido que este encaminhe representação a uma das promotorias do Patrimônio Público recomendando que “após instauração de procedimento administrativo, encaminhe-se expediente à Câmara Municipal, na pessoa de seu vice-presidente (vereador Flávio César, do PTdoB), em face do impedimento do presidente, para que ele, no exercício da presidência da Mesa Diretora, instaure a necessária comissão processante”, diz o documento.

Segundo o corregedor, “há farta evidência de pagamento de propina por parte do empreiteiro João Amorin, que tinha grande interesse em manter seus tentáculos sobre a administração municipal, com a assunção do vice-prefeito Gilmar Olarte, também flagrado em conversas com João Amorin” , diz trecho do pedido.

Mario Cesar informou hoje pela manhã (11) que) desconhecer recomendação feita pelo Corregedor-Geral do Ministério Público Estadual (MPE). “Não fui notificado ainda sobre esse pedido e qual o mérito. Fiquei sabendo hoje pela imprensa”, afirmou.

Comentários

comentários