Prefeitura inicia recuperação dos trechos no Córrego Prosa

Da Redação

A Prefeitura de Campo Grande começou a recuperar os trechos danificados das paredes de gabião no Córrego Prosa. O serviço foi iniciado  próximo ao cruzamento da Avenida Fernando Correa da Costa com a Rua José Antônio.

Nesta quarta-feira (12), uma retroescavadeira iniciou  a reconstrução  do piso de pedra , revestido com concreto, feito no canal do córrego para evitar que a correnteza bata no barranco  e derrube o muro de gabião.

O projeto, orçado em  R$ 1.201.946,62,  prevê a recuperação de 5 trechos do gabião margeados pelas avenidas Fernando Correa da Costa e Ricardo Brandão, entre as Ruas José Antônio e Nova Era.

Serão reconstruídos 100 metros de gabião, danificadas ao longo do tempo, do piso de concreto feito sobre pedra rachão, além da construção de passeio público e urbanização.

O projeto foi definido a partir de um  levantamento realizado pela Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços), que identificou quase 100 metros de gabião danificados, consequência do longo período  sem manutenção.   Segundo engenheiros a Sisep, o problema foi consequência do  processo de “oxidação” (ferrugem) de parte dos arames decorrente do contato com a água. Com isto, as gaiolas se abriram m e a correnteza levou  as pedras, derrubando os muros.

Para garantir maior durabilidade ao gabião, será instalado um material mais resistente, com arames revestidos. Serão implantados 699 metros cúbicos  muro, com trechos em que haverá reconstrução, com enchimento das gaiolas com pedra rachão, envolvidas com lona geotêxtil para filtrar a areia que desce junto à enxurrada.

Está programada ainda a instalação de drenos a cada 2 metros para o escoamento das águas pluviais. A lona e os drenos, segundo explicações dos técnicos da Sisep, reduzirão a pressão sobre a parede de proteção das margens do córrego.

Praça das Águas

Além da reconstrução de trechos do gabião no Prosa,  também estão previstas algumas ações na Praça das Águas, que fica num trecho mais montante do Prosa.  O projeto contempla plantio de 1.100 mudas, controle de pragas e formigas, além da, além da implantação de 560 metros de cerca na Praça da Águas, ações previstas no Projeto de Recuperação de Área Degradada (PRAD).

O plantio de mudas frutíferas e nativas como: aroeira, pimenta, jaca, goiaba, ipê, pequi, acerola, pitanga, jaca, na Praça das Águas, é para a recomposição da vegetação para evitar erosão no córrego prosa.