Prefeitura estima em R$ 50 mil gasto para recuperação de danos após Carnaval

A Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos de Campo Grande começou nesta quinta-feira (7) a fazer o trabalho de recuperação dos danos causados na Orla Ferroviária, entre a avenida Mato Grosso e a rua Calógeras, durante o carnaval de rua.

Grade da Orla Ferroviária no chão

O secretário de infraestrutura, Rudi Fioresi, informou que o gasto inicial para reformar a Orla Ferroviária é de R$ 50 mil. Os primeiros trabalhos são os de retirada das grades de proteção que foram retorcidas e pararam no chão, e de outros materiais danificados, para depois recolocação de estruturas e o conserto.

A secretária de Turismo, Nilde Brum, explicou que as ações de vandalismo aconteceram na região da Orla Ferroviária, espaço não acordado com os blocos para a realização dos desfiles. O problema é que os dois locais são vizinhos.

“A autorização que os blocos têm é para fazer o carnaval na Esplanada. Lá não aconteceu nada. Tudo o que foi previsto, tratado no TAC [Termo de Ajustamento de Conduta], foi cumprido pelos blocos e pela prefeitura. […] Nós precisamos agora decidir o que fazer com esse espaço que está perto, mas que não pertence à autorização que foi dada aos blocos”.

Vandalismo
A região vizinha onde foi realizado o carnaval de rua sofreu diversos danos. Ao fim do último dia de festa, era possível ver as consequências de atos de vandalismo.

Grade de ferro da Orla Ferroviária foi derrubada, refletores foram quebrados, jardim próximo ao recém-inaugurado monumento da Maria Fumaça foi pisoteado, hotel histórico foi pichado e viaturas do Samu e da PM foram apedrejadas. Policiais municipais também foram alvos de pedradas. Calçadas ficaram repletas de xixi. Três pessoas foram presas.

Muito lixo também foi deixado pelos foliões. Quando o dia amanhecia, era possível ver tudo quanto é tipo de resíduos jogados nas calçadas e ruas.

Comentários