Prefeitura e professores “encontram ponto” e fim da greve pode ser anunciado hoje

A prefeitura de Campo Grande e os professores da Reme (Rede Municipal de Educação) podem ter encontrado um ponto de equilíbrio – entre a proposta de pagar gradualmente o reajuste de 13,1% que adequará os salários dos professores municipais ao piso nacional, e as limitações alegadas pela prefeitura, que são impostas pela LRF(Lei de Responsabilidade Fiscal) para honrar a lei municipal que concede o reajuste aos professores.

Paulo Matos e Geraldo Gonçalves durante reunião pela manhã Foto Silvio Ferreira
Paulo Matos e Geraldo Gonçalves durante reunião pela manhã Foto Silvio Ferreira

Durante reunião realizada nesta sexta-feira (7), na prefeitura, entre o chefe de gabinete do prefeito Gilmar Olarte (PP), Paulo Matos; os secretários de Administração, Wilson do Prado; de Educação, Marcelo Salomão; e de Finanças, Ivan Jorge, com uma comissão da Associação Campo Grandense de Professores, ficaram acertados “alguns pontos, que serão divulgados apenas no final da tarde, e ainda não formam um documento”, explicou o presidente da ACP, Geraldo Gonçalves.

“Eles serão submetidos à assembleia da categoria, logo mais às 16h, na sede da ACP e uma vez acolhidos pela categoria, logo mais às 17h, em uma nova reunião na prefeitura, esperamos que seja possível anunciar o fim da paralisação.”  De acordo com Gonçalves, “se os pontos tratados de ontem para cá tivessem sido abordados desde o início, não teríamos iniciado à paralisação”.

Tanto o presidente da ACP, quanto o secretário Paulo Matos não quiseram revelar quais seriam os pontos discutidos durante a reunião. Ao ser inquirido sobre “qual foi o prazo proposto pela prefeitura para o escalonamento do pagamento do reajuste cobrado pela categoria?”, para que a negociação tenha evoluído, o secretário deixou escapar: “Não será muito longo! Mas assim vocês me fazem quebrar o meu acordo de não divulgar nada antes da assembleia!”

SIlvio Ferreira

Comentários

comentários