Prefeitura é alvo de operação do Gaeco por irregularidades em contratos

Nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (16), equipes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) iniciaram uma operação na Prefeitura Municipal de Camapuã, a 135 quilômetros de Campo Grande. O promotor Marcos Alex, acompanhado de ao menos oito agentes do MPE (Ministério Público do Estado), cumprem mandados de busca e apreensão.

Equipes do Gaeco buscam documentos na prefeitura da cidade - Foto: Divulgação/Gaeco
Equipes do Gaeco buscam documentos na prefeitura da cidade – Foto: Divulgação/Gaeco

]Segundo a investigação, a administração da cidade cometeu irregularidades na compra de materiais de construção e contratação e empresas prestadoras de serviços.

Servidores do Gaeco cumprem mandado de busca e apreensão e dezenas de documentos já foram apreendidos. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), o mandado precisou ser cumprido em razão da prefeitura não ter encaminhado ao ministério a documentação solicitada.

O inquérito civil que baseou a operação foi instaurado com base em compras e contratos fechados pela prefeitura em 2013, quando Marcelo Duailibi (DEM) já comandava a cidade.

Os contratos fechados com empresas envolvem até empresários de outros Estados do país. No início do ano passado, parte da documentação teria sido perdida depois de uma forte chuva que atingiu a cidade e acabou infiltrando uma das salas.

A operação deve durar todo o dia.

Comentários

comentários