Prefeitura consegue área para caçambeiros

A Prefeitura de Campo Grande conseguiu viabilizar um terreno particular na saída de Três Lagoas para solucionar o problema dos caçambeiros, que ficaram sem ter onde depositar os entulhos depois que o aterro no Jardim Noroeste foi fechado por ordem judicial.

O entulho das 3.800 caçambas servirá para tapar uma  “cava” aberta pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes  (DNIT) durante a construção da rodovia. O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, José Marcos da Fonseca, está finalizando o Programa de Recuperação de Área Degradada e acredita que até o início da semana que vem os empresários já possam transportar o material para o local.

O trabalho de despejo será fiscalizado pela SEMADUR para que seja respeitado as normas ambientais e evitar que o entulho acumulado neste ano seja depositado no terreno. Uma caçamba só poderá depositar o entulho uma única vez.

 

Aterro Particular

O entulho acumulado em 2017 deverá ser destinado a aterro particular, já que a responsabilidade da prefeitura é apenas de recolher o lixo doméstico. No contrato com a CG Solurb há previsão da construção de 50 Ecopontos, que receberiam entulho transportado por carroceiros (1m³), mas nenhum foi instalado até o momento. O secretário de Governo, Antônio Lacerda, explicou que a prefeitura vai cobrar a instalação dos Ecopontos, exigindo que a CG Solurb instale pelo menos 15 Ecopontos ainda neste ano.

Atualmente, dois aterros particulares têm autorização para receber entulho. Outras duas empresas solicitaram licença ambiental, que está em andamento. A força-tarefa montada pela prefeitura também contou com a participação dos secretários de Infraestrutura, Rudi Fiorese, e de Assistência Social, Angélica Fontanari.

Comentários