Prefeitura anuncia para julho obra de controle erosão no corrego ameleira

A Prefeitura de Campo Grande planeja iniciar em julho as obras de controle da erosão no Córrego Gameleira, que ameaça o Bairro Novo Século e até as duas pistas da Avenida Gury Marques, no trecho próximo a sede da distribuidora de energia, Energisa.

Nesta terça-feira (18), a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos assinou contrato com a empresa vencedora da licitação, que executará a obra ao custo de R$ 2.490.356,95,  10% abaixo do preço de referência previsto no edital.  A ordem de serviço será assinada tão logo seja autorizada pela  Caixa Econômica Federal.

O projeto prevê a construção de uma barragem de nove metros, um  vertedouro de cinco metros,  em forma de tulipa, semelhante ao existente no Lago do Amor.

De acordo com o secretário adjunto de Infraestrutura, Ariel Serra, quando a água da chuva  atingir a cota máxima suportada pela barragem, o excedente vai cair neste vertedouro, espécie de poço profundo, e  voltará ao curso normal do córrego, por  onde escoará sem ampliar a voçoroca. Segundo ele, a cratera aberta será fechada gradativamente com o próprio sedimento retido na barragem.

A obra chegou a ser licitada há quatro anos, mas não foi levada adiante porque na época a empreiteira vencedora da concorrência desistiu do contrato. Agora, os concorrentes da nova licitação terão até o dia 31 de agosto para entregarem as propostas.

Ocupação

A  erosão neste trecho do Gameleira, em boa medida, decorre das características do terreno (a região é bastante arenosa).  No entanto, se  acentuou a partir da duplicação da Avenida Gury Marques e do processo de ocupação urbana da margem esquerda (sentido centro/bairro) da via,  iniciado ainda nos  anos 70, com a construção das Moreninhas.

Foi feita uma galeria que atravessa a avenida, por onde escoa toda a enxurrada da parte alta, que deságua no córrego. Há quatro  anos, foi implantado mais acima um tubo amrco, sob as duas  pistas da Gury Marques, que receberá as águas pluviais da Cidade Morena.

Ano passado, a Prefeitura chegou a retomar a implantação de drenagem na parte baixa do Cidade Morena, mas a empreiteira desistiu da obra. O projeto foi revisto, o orçamento ajustado, e está sendo lançada uma nova licitação para execução de 1.677 metros de galerias, ao custo de R$ 3.101.713,06.

A obra vai acabar com o problema de alagamento  em algumas ruas  já asfaltadas, onde a drenagem não foi ativada porque falta a tubulação que levará até o Gameleira as águas pluviais da parte alta do bairro e das Moreninhas

No Cidade Morena, a rede de drenagem vai atender  as ruas Campos do Jordão, do seu início até a Israelândia; da Israelândia, entre a Campos do Jordão e a Inconfidentes; Rua Guarani, entre a Israelândia e a Cana Verde; Rua Jaguariúna, entre a Floeral e a Guarani; rua Buenópolis, da Avenida Alto da Serra até a Rua Cana Verde; Travessa Gramados, do seu início até a Rua Buenópolis e prolongamento da Rua Neferson Clair de Moraes.

Comentários