Prefeitura aluga prédio para alocar todos serviços da Vigilância Sanitária

Lúcio Borges

A atual administração da prefeitura de Campo Grande, anunciou nesta terça-feira (12), que serviços da Vigilância Sanitária municipal passam a atender em único local, quase no centro da Capital, apesar de ser em prédio alugado na Rua Antônio Maria Coelho – Vila Planalto. O espaço é amplo e abrigará seis serviços de fiscalização e um de educação da CVS (Coordenadoria de Vigilância Sanitária) da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), mas contrasta com o município tendo diversos prédios ou espaços sem uso e até abandonado pela cidade (veja abaixo).

Contudo, o novo local terá reunido todos os serviços da CVS da Sesau, que já passaram a atender nesta segunda-feira (11).  Veja abaixo, todas as atribuições da Vigilância Sanitária, que em suama desenvolve ações para eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e da circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde.

Os seis setores de fiscalização e um de educação da CVS atendem agora na Rua Antônio Maria Coelho, 79 – Vila Planalto, integrando toda a Coordenadoria. Até a semana passada, por exemplo a Sefal (Serviço de Fiscalização de Alimentos) estava instalada no CEM (Centro de Especialidades Medica Municipal) e agora atende no novo endereço, junto aos demais órgãos. “A população é mais beneficiada com os atendimentos em só local. Como assim, fica mais fácil solicitar documentos e alvarás, fiscalizações e tirar dúvidas de uma só vez”, menciona o secretário de Saúde, Marcelo Vilela.

Os órgãos da Vigilância Sanitária da Capital são: o Sefes (Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Saúde); Sestrab (Serviço de Fiscalização de Saúde do Trabalhador); Sefal (Serviço de Fiscalização de Alimentos); Sefis (Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Interesses da Saúde); Searq (Serviço de Análise e Aprovação de Projeto Básico de Arquitetura); Sefmed (Serviço de Fiscalização de Medicamentos), e, SES (Serviço de Educação Sanitária). Todos agroa estão num só local na Vila Planalto.

Confira a lista de telefones dos serviços da CVS:

  • Recepção Coordenadoria de Vigilância Sanitária – 3314-3286
  • Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Saúde (SEFES) – 3314-4570
  • Serviço de Fiscalização de Saúde do Trabalhador (SESTRAB) – 3314-4571
  • Serviço de Fiscalização de Alimentos (SEFAL) – 3314-4572
  • Serviço de Fiscal. de Estabelecimentos de Interesses da Saúde (SEFIS) – 3314-4573
  • Serviço de Análise e Aprovação de Projeto Básico de Arquitetura (SEARQ) – 3314-4574
  • Serviço de Fiscalização de Medicamentos (SEFMED) – 3314-4575
  • Serviço de Educação Sanitária (SES) – 3314-4576

Tanto a CVS quanto os serviços atendem de segunda a sexta-feira (exceto feriados) das 7h às 11h e das 13h às 17h.

Atribuições 

A Vigilância Sanitária desenvolve ações para eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e da circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde.

Planeja, coordena e supervisiona as ações de fiscalização de controle de bens de consumo, desde a produção ao consumo por meio do Serviço de fiscalização de Alimentos, Serviço de Fiscalização de Medicamentos e pelo Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Interesse da Saúde.

Assim como as ações de controle de prestação de serviços de saúde através do Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Saúde. Realiza análise, avaliação e aprovação de Projetos Básicos de Arquitetura de Estabelecimentos no município, visando assegurar o cumprimento dos padrões relacionados à Arquitetura e Engenharia, de acordo com as normas sanitárias vigentes.

Além disso, desenvolve ações educativas e preventivas com temas voltados para a Vigilância Sanitária, meio ambiente e Saúde do Trabalhador.

Espaços abandonados

Ao citarmos acima, que a prefeitura tem espaços ou prédios pela cidades que poderiam ser utilizados para este ou qualquer finalidade, a intenção é dar alerta em saber porque não se utiliza os locais.

Os moradores de áreas de Campo Grande há anos e até décadas, convivem com locais abandonados e que servem de abrigo a mendigos e pontos de drogados, como os seguintes:

  • Antigo CCI (Centro de Convivência do Idoso), quase centro da cidade no Horto Florestal;
  • Antigo espaço da Agetran, que funcionava quase ao lado CCI, na Rua Anhandui com Avenida Fernando Correa da Costa;
  • Espaços na antiga rodoviária, no bairro Amambai;

Comentários