Prefeitura abre inscrições do cursinho preparatório para o Enem

Da Redação

Os estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e que são, preferencialmente, de escola pública, já podem fazer o cadastro para participar do Cursinho Levanta Juventude. As inscrições vão até a próxima sexta-feira (25) e são cerca de 250 vagas disponíveis. As aulas acontecem todos os sábados pela manhã, na Uniderp, em Campo Grande.

Para garantir a vaga no cursinho, os estudantes devem levar os comprovantes de pagamento de inscrição no Enem até a sede da Subsecretaria de Políticas para a Juventude (Subjuv). Já os alunos que obtiveram a isenção do pagamento da taxa de matrícula devem levar o documento comprobatório.

O Cursinho Levanta Juventude disponibiliza aulas de reforço escolar para que os estudantes possam memorizar táticas e macetes para que consigam uma boa nota na prova nacional. Promovido pela Subjuv, em parceria com professores renomados, que lecionam nas principais escolas particulares de Campo Grande, a intenção é garantir que os alunos de escolas públicas tenham a mesma chance de entrar em uma universidade do que aqueles que possuem condições de ter um melhor ensino escolar.

“Sabemos das dificuldades dos estudantes em disputar de igual para igual e encontramos essa lacuna para o jovem campo-grandense. Buscamos as parcerias e oferecemos um cursinho que garante que esses estudantes possam disputar de igual para igual com os concorrentes”, explica o subsecretário de Políticas para a Juventude, Maicon Nogueira.

Nesta segunda edição do projeto, o período de aulas foi ampliado, começando no dia 9 de junho e terminando no último dia antes da aplicação da prova, que acontece nos dias 4 e 11 de novembro. Durante o período, os participantes terão dicas e orientações sobre os principais temas cobrados pela avaliação nacional, como português, matemática, física, química, redação, atualidades, dentre outras matérias.

No ano passado, durante a primeira edição do projeto, mais de 200 jovens participaram do cursinho e cerca de 10% conseguiram notas para entrar em uma universidade pública ou privada ou para garantir bolsas de estudo dentro das instituições.

“Pode parecer um número pequeno, mas para eles, as aulas fizeram uma grande diferença e muito estão cursando boas faculdades. Será que eles teriam conseguido se não tivessem participado das aulas? Temos certeza que este projeto fez a diferença nos estudos desses estudantes”, ressalta o subsecretário.

Para o estudante de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Eduardo Paniagua de Oliveira Ferreira, participar do cursinho foi importante para adquirir mais confiança no momento de fazer a prova, um problema enfrentado por muitos estudantes. “Foi importante no sentido de preparação psicológica. Tirou um pouco da tensão”, diz.

Comentários

comentários