Prefeitos de MS pedem adiamento das aulas da rede estadual

Prefeitos dos municípios de Mato Grosso do Sul foram questionados pela Assomasul sobre a prorrogação do ano letivo para o dia 1° de março, e grande parte foi favorável. (Foto Paulo Francis)

A diretoria da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), realiza durante a votação de sua próxima gestão, que aconteceu nesta segunda-feira(16), uma pesquisa entre os prefeitos para saber se concordam com a prorrogação do início do ano letivo escolar da rede estadual de ensino, programado para o próximo dia 13 de fevereiro.

Conforme explicou o diretor executivo da entidade, Alan Monteiro, o pedido de adiamento para no dia 1 de março, será entregue diretamente ao governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Pedro Arlei Caravina (PSDB), que concorre ao cargo de presidente da Assomasul, alegou que diversos municípios estão passando por dificuldades no inicio da gestão. (Foto Paulo Francis)

O prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB), único concorrente ao cargo de presidente da Assomasul, destacou que os prefeitos que assumiram recentemente tem enfrentando grandes dificuldades em relação ao transporte escolar, malha viária, estradas, e essa prorrogação daria um prazo maior para que os gestores possam se organizar.

“Há dificuldades financeiras que os municípios enfrentaram no final de mandato e as dificuldades iniciais de início de ano, diante disso a maioria dos prefeitos estão pleiteando que seja adiado o inicio das aulas para possam retornar com uma melhor qualidade  na prestação dos serviços, principalmente na área do transporte escolar”, explica.

Para Rudi Paetzold, prefeito de Coronel Sapucaia, os pequenos municípios tiveram as estradas castigadas devido às chuvas dos último mês. (Foto Paulo Francis)

O prefeito de Coronel Sapucaia, Rudi Paetzold, ressaltou que maioria dos pequenos municípios, principalmente os da região de fronteira, tiveram as estradas de acessos castigadas devido às chuvas dos último mês.

“A maioria das estradas por onde passam o transporte escolar são de terra e estão detonadas. Eu acho essa prolongação viável, porque nesse tempo dará para fazer todas as obras de revitalização necessária, mas é claro desde que o tempo nos ajude”, finaliza.

Comentários