Prefeito morto deixou carta para família e documentos ao lado da cama

O prefeito afastado de Bela Vista, Renato Souza Rosa, que foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (29) em Jardim, deixou uma carta para a família num bloco de anotações ao lado da cama em que seu corpo estava. O inquérito para apurar a morte foi instaurado e haverá investigação. No entanto, a Polícia Civil trabalha inicialmente com a hipótese de suicídio, devido às circunstâncias em que ele estava e o local do crime.

Renato de Souza Rosa em 2013, ao lado do vice-prefeito eleito Douglas Gomes, e as duas filhas (Foto: Peter Fleitas Lino/Bela VistaMS)
Renato de Souza Rosa em 2013, ao lado do vice-prefeito eleito Douglas Gomes, e as duas filhas (Foto: Peter Fleitas Lino/Bela VistaMS)

 

Ele foi encontrado no quarto de um conjunto residencial do tipo kitnet, que estava alugado no nome do genro dele. Ao chegar ao local, por volta de 7h desta quinta-feira, o próprio genro percebeu que ele ainda estava na cama e arrombou a porta do quarto.

A família chamou a PM (Polícia Militar) que compareceu ao local junto com a equipe de perícia da Polícia Civil, para fazer o levantamento das circunstâncias do crime. No local, também foram colhidos materiais que serão levados para serem periciados.

Ele foi achado deitado na cama, com uma perfuração no tórax. O disparo partiu de uma arma de fogo, pistola Beretta 3.35, que é equivalente a uma de calibre 22. Num bloco de anotações, ainda estavam alguns dizeres que Rosa teria deixado para a família, junto com alguns outros documentos.

“Nós olhamos o local dos fatos, aquele quartinho, os materiais colhidos junto à perícia, toda a dinâmica. Há ausência de lesões na vítima e não há sinais de violência ou luta corporal. Nós demos início às investigações, mas até o momento estamos apontando para o lado do suicídio”, relatou o delegado do 1º DP (Distrito Policial) de Jardim, Alex Sandro Antônio.

Segundo ele, além do trabalho de perícia, serão ouvidas testemunhas no inquérito para apurar o ocorrido. A primeira convocada será o genro, que foi a princípio a última pessoa que teve contato com Rosa, antes de ter sido encontrado morto.

CASSAÇÃO

A Câmara de Vereadores de Bela Vista aprovou na segunda-feira (26), o recebimento do processo de cassação do mandato do prefeito afastado. O pedido foi feito pelo técnico em contabilidade Luiz Melchiades Ferreira Lobo.

Nove vereadores votaram a favor, um contra e um se absteve ao recebimento do pedido. Com isso, estaria aberto um procedimento da Casa de Leis que poderia culminar na cassação do mandato de Rosa.

O prefeito já estava afastado do cargo por um período de 180 dias, a contar de agosto deste ano, quando a medida foi determinada. Este é resultado de uma investigação do MPE (Ministério Público Estadual), que apura o envolvimento de Rosa e servidores num esquema de fraude ao ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis). O pedido de cassação foi feito pelo mesmo motivo.

De acordo com a Câmara de Vereadores, o MPE apura eventual prática de improbidade administrativa. Esta teria provocado danos aos cofres públicos por meio de irregularidades relacionadas ao recolhimento de ITBI e ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) no dia 15 de julho deste ano. A estimativa é de que prejuízo ao erário seja de R$ 52,4 mil.

Comentários

comentários