Prefeito de Guia Lopes da Laguna é cassado por se envolver com licitações fraudulentas

Os vereadores de Guia Lopes de Laguna – distante 235 km de Campo Grande – cassaram na manhã de hoje o mandato do prefeito Jácomo Dagostin, acusado de participar juntamente com ex-secretário de administração, assistência social e saúde, de esquema que fraudava licitações e teria desviado R$ 500 mil dos cofres municipais.

Prefeito é cassado pela Câmara de Vereadores - Foto: Bela Vista MS
Prefeito é cassado pela Câmara de Vereadores – Foto: Bela Vista MS

“A principal falta foi em relação a omissão e negligência em todo esse caso do ex-secretário. Ele foi diretamente beneficiado com o sistema”, detalhou o vereador Ademir Souza de Almeida (DEM).

O ex-secretário, que também é padre, tem sido investigado pela Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) desde março de 2013 e em fevereiro de 2014 foi indiciado por lavagem de dinheiro, fraude em licitação, posse ilegal de arma e peculato (desvio de dinheiro público).

Dos noves vereadores da Câmara de Guia Lopes, seis participaram da sessão. Todos votaram favoravelmente à cassação do prefeito.

Os vereadores que votaram a favor da cassação foram Rodrigo de Arruda (PMDB), Sérgio Soares Fragoso (PP), Gilberto Ferreira de Souza (PT), Cleonete Martins Moreno (DEM), Marlon Crispim Barbosa (DEM) e Assis Francisco Barbosa, que votou no lugar do vereador Ademir Souza de Almeida (DEM).

Jácomo havia sido cassado pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) no início de 2013 devido ao envolvimento do vice-prefeito Ney Marçal com compra de votos em 2004, crime pelo qual foi condenado, porém, por força de liminar ele e o vice conseguiram se manter na prefeitura até que em outubro de 2013, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) considerou legal a eleição de ambos e manteve o mandato de Jácomo e Ney.

Comentários

comentários