Prefeita eleita de Fátima do Sul foi cassada por compra de votos

A juíza eleitoral Rosângela Alves de Lima Fávero cassou a expedição do diploma da prefeita eleita de Fátima do Sul, Ilda Salgado Machado (PR), nesta quinta-feira (10) por compra de votos, além de aplicar uma multa de 10 mil Ufirs e deixa-la inelegível por oito anos. A magistrada da 4ª zona eleitoral considerou um vídeo onde aparece a então candidata entregando R$ 700 a um eleitor em troca de três votos uma prova robusta.

Prefeita eleita Ilda Machado foi cassada pelo TRE-MS por compra de votos
Prefeita eleita Ilda Machado foi cassada pelo TRE-MS por compra de votos

O pedido de ação de investigação eleitoral foi feito pela Coligação “Respeitando Nossa Gente”, do único adversário Júnior Vasconcelos (PSDB). Ilda Machado foi eleita com 51,67% dos votos contra 48,33%. Dos 16.097 eleitores, 13.902 compareceram às urnas e a abstenção foi de 13,64%.

Segundo a ação, no dia 22 de setembro, cabos eleitorais da candidata à prefeitura do PR estiveram no bairro Jardim dos Ipês, na parte da manhã, avisando que Ilda Machado iria à tarde distribuir dinheiro. Como dito, um eleitor recebeu a visita da candidata que perguntou se precisava de algo.

Depois pergunto se R$ 500 resolveria a situação e entregou o valor, conversando sobre os três votos da residência – dele, da mulher dele e outro morador. O eleitor pediu mais dinheiro em nome da mulher dele. Ilda tirou da roupa dela mais R$ 200 e lhe entregou. Tudo foi gravado.

A defesa da candidata pediu a anulação das provas por teriam sido obtidas por meio ilícitos. Além disso, acusou o vídeo de ter sido editado e o eleitor de estar passando por dificuldades financeiras por estar desempregado.

Ilda Machado é casada com o ex-deputado estadual e presidente regional do PR, Londres Machado, e mãe da deputada estadual Grazielle Machado (PR).

Comentários

comentários