Preço dos alimentos cai pelo quinto ano consecutivo, segundo FAO

Boas colheitas de cereais equilibraram a pressão sobre o preço de matérias-primas tropicais como açúcar e óleo de palma, que tiveram produções afetadas pelo El Niño; Índice de Preço dos Alimentos teve média de 161.6 pontos.

O preço das principais matérias-primas alimentares caiu pelo quinto ano consecutivo em 2016, com uma média de 161.6 pontos, ou 1,5% abaixo do nível de 2015.

O balanço é da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, responsável por divulgar o Índice de Preço dos Alimentos. O índice é um balanço do comércio internacional dos cinco principais grupos alimentares: cereais, oleaginosas, laticínios, carnes e açúcar.

El Niño

No ano passado, as boas colheitas de cereais ajudaram a reduzir a pressão sobre os preços de commodities tropicais como o açúcar e o óleo de palma, que tiveram as produções impactadas pelo El Niño.

O preço dos cereais caiu 9,6% em relação a 2015, enquanto o valor médio do açúcar foi 34% maior e o das oleaginosas subiu mais de 11%. Em relação às carnes, a queda média global foi de 7% no ano passado, devido à redução nos preços das carnes bovina e de frango.

Brasil

A FAO explica que em dezembro, o índice de preço do açúcar caiu 8,6% devido à desaceleração do Real em relação ao dólar, além de uma alta de 18% na produção da cana-de-açúcar no centro-sul do Brasil.

No mês passado, houve alta de 3,3% no índice de preço dos laticínios, influenciada pela alta na manteiga, nos queijos e no leite em pó integral e pela produção limitada na União Europeia e na Oceania. (Com ONU News)

Comentários