“Precisamos definir a definição do que fazer até eleição 2020”, diz novo presidente do PSDB-MS

Deputado-presidente da AL-MS, Paulo Correa; Sergio de Paula, Beto Pereira, Rose e Geraldo Resende, Carlos Alberto d Assis

O famoso aparente ’em cima do muro’, continua característica, foi a primeira tônica na ‘aclamação’ do novo presidente do PSDB de Mato Grosso do Sul, Sérgio de Paula, que assumiu na manhã deste sábado (4), o ninho tucano estadual. Ele, que foi colocado como terceira via ou pacificador de possível disputa pelo cargo, discursou hoje, que tem em conjunto com demais membros do partido, que avaliar toda conjuntura da sigla, em especial sobre as candidaturas a prefeituras em MS nas eleições de 2020. A principio, apontou que as candidaturas  serão discutidas nos diretórios, mas que ainda há ‘muito o que definir-se’ até mesmo quais serão os caminhos e definições, antes do período eleitoral.

O novo presidente tucano, foi escalado por diversas lideranças, principalmente o governador Reinaldo Azambuja, como nome a presidência, para dissipar a disputa que iria ocorrer entre os deputados federal Rose Modesto e Beto Pereira, que está deixando a o cargo. Hoje, Sérgio de Paula, entre os dois comentou que tem uma grande ou até maior responsabilidade no cargo, pois se a vaga teria um dos dois em grande direção, com ele deve cuidar ainda mais, “porque, não posso decepcionar, após receber o apoio de ambos, além do governador e demais deputados estaduais e federal”, disse de Paula.

Apesar de já estar sendo ‘falada’, por membros até de direção municipal, entre uns apontando candidato próprio e outros indo na direção do atual prefeito, a indicação tucana a prefeitura de Campo Grande, será tratada entre as ‘definições da definição’. De Paula desconversou sobre assunto, mas no geral disse que partido vai definir seus candidatos da melhor forma.

“Respeitamos os nossos diretórios municipais que são muito importantes e todas as tratativas políticas estamos discutindo no nosso diretório. Vamos fazer uma conversa com os prefeitos, com os vices prefeitos, com os vereadores, com as lideranças, com os novos candidatos a prefeitos”, disse o novo presidente ante já durante o evento, receber quatro prefeitos do interior assinando filiação com o PSDB.

Por fim, disse que tem uma grande missão, mas está preparado para conseguir solucioná-la. “Vai ser um desafio, mas eu não tenho medo pela qualidade e pela seriedade do nosso partido”, comentou De Paula.

Palavras de maior liderança

O governador Reinaldo Azambuja evitou falar da sucessão de Marquinhos Trad (PSDB) na Prefeitura de Campo Grande e destacou que o assunto deve ser tratado somente a partir de abril do próximo ano. “Temos um combinado eu e o Marcos que como nós estamos com enormes demandas, nós temos inúmeras obras, temos aí vivenciado momentos difíceis, nós vamos tratar de eleição municipal no ano da eleição que é 2020. Então a partir de abril do ano que vem nós vamos começar a discutir”, enfatizou o governador.

Já a recém eleita deputada federal Rose Modesto, pretensa ou virtual candidata novamente, reeditando a disputa de 2016, avaliou como “precipitado” que os tucanos cogitem não ter candidatura própria na disputa pela Prefeitura da Capital. “Um partido do tamanho do PSDB com o governo na mão, simplesmente hoje, faltando um ano e meio, dizer que não tem candidato a prefeito de uma Capital. eu acho um pouco precipitado”, afirmou, hoje durante a ‘eleição’ para escolha do novo presidente do diretório estadual.

Ela sem falar nomes, menciona a questão externada pelo atual presidente da sigla na Capital, Carlos Alberto de Assis, que já declarou que o partido ou atual direção, avalia melhor a pretensão de apoiar a reeleição de Trad. Isto vem na esteira que o chefe do executivo estadual, faz ou trata o prefeito como prioritário.

A deputada diz entender o compromisso já feito do governador com prefeito Marquinhos Trad (PSD) e afirma que “isso o partido tem que respeitar”. Mas, vê distinção entre o acordo pessoal de administrações e o posicionamento do diretório tucano.

No caso do partido, ela defende candidatura própria após aferição de nomes por meio de pesquisas com o eleitorado. Na avaliação da deputada federal tucana, o PSDB tem grandes quadros, grandes nomes.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui