Pré-estreia do documentário “Questão de honra” lota auditório do MIS

Foto Divulgação
Foto Divulgação

O auditório do MIS (Museu da Imagem e do Som) ficou lotado na noite desta segunda-feira (28) para a pré-estreia do documentário “Questão de Honra”. Dentre os presentes um dos cineastas pioneiros do Estado, Alexandre Couto, retratado no filme. Também marcaram presença o secretário Athayde Nery e a secretária adjunta Andrea Freire da Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei).

O curta dirigido por Carol Araújo resgata fragmentos da história de cinco cineastas pioneiros de Mato Grosso do Sul; Alexandre Couto, José Reinaldo, José Piranha, Juareis Chaves e Rubens Ramos. A ousadia desses desbravadores em produzir cinema na década de 70, onde tudo era difícil já que não existia a tecnologia avançada dos dias atuais. Tudo era feito na “raça”, como diz um dos depoentes no documentário que procurou homenagear esses amantes da sétima arte e de certa forma manter viva a história desses “herois” do cinema sul-mato-grossense. Ao todo já produziram seis filmes, o último, “Honra”, lançado em 2013.

O cineasta Alexandre Couto que produz filme desde a década de setenta diz que é preciso ter emoção para se produzir um filme, “tem que se viver o que está fazendo”. Também contou algumas peripécias ao realizar um filme, onde sempre abusou da criatividade para se chegar ao resultado pretendido, já que nem sempre se pode contar com recursos financeiros para fazer cinema por aqui.

Para Carol Araújo o título do documentário pode soar como uma provocação, ”para eles fazer cinema é uma questão de honra, é um pequeno recorte do meu olhar, é contar um pouco da história deles, contada por eles”, diz. Carol também revela haver uma identificação, “eu me reconheço no amor que eles têm pelo cinema, na vontade que eles têm de fazer filme, eu me identifico com eles, com o desejo de fazer cinema”, conclui. Araújo vai lançar em breve a média metragem “corpo manifesto” sobre manifestos femininos.

Comentários

comentários