Por reajuste salarial e melhores condições de trabalho, PM e Bombeiros fazem 12 horas de paralisação

Reivindicando reajuste salarial e melhores condições de trabalho, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros estão realizando na manhã desta terça-feira (24), uma paralisação de 12 horas nas atividades. Os militares estão reunidos na Praça Ary Coelho, no centro da Capital.

De acordo com informações do tenente Thiago Mônaco, presidente da ABSSMS (Associação Beneficente dos subtenentes, sargentos e oficiais da PM e Bombeiros), o último reajuste da categoria foi dado em dezembro de 2014. “Queremos essa reposição salarial que chega a 16%”, explicou. Ele também ressaltou que a categoria não quer abono, já que é um benefício que não é integrado ao salário e pode ser tirado a qualquer momento.

Categoria está reunida na Praça Ary Coelho. Foto: Kerolyn Araújo
Categoria está reunida na Praça Ary Coelho. Foto: Kerolyn Araújo

Além do reajuste salarial, os militares também reivindicam melhores condições de trabalho para que o trabalho da polícia seja mais eficiente. “Falta papel para confeccionar os boletins de ocorrência, viaturas em péssimas condições, faltam algemas, os coletes a prova de balas vencidos. Queremos que isso melhore para melhor atender a sociedade”, ressaltou.

No final da manhã, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), convocou uma reunião com os coronéis da Polícia Militar e Bombeiros para discutir o assunto. Caso nenhum acordo seja fechado, os militares poderão continuar com a paralisação.

A manifestação está acontecendo em Campo Grande, Dourados, Corumbá, Naviraí, Amambai, Ponta Porã, Fátima do Sul, Paranaíba, Rio Negro e Jardim.

Comentários

comentários