Por que milhões e título da Copa do Brasil valem tanto em Corinthians x Flamengo

ESPN/JN

Timão pega o Rubro-negro carioca esta noite em Itaquera

Uma premiação de altíssimo valor financeiro e uma das taças mais desejadas do futebol brasileiro. São duas as razões para qualquer clube sonhar com a conquista da Copa do Brasil. Para Corinthians e Flamengo não é diferente. Só que, enquanto para os rubro-negros a taça em si parece ser a grande motivação, o dinheiro faz os olhos dos alvinegros brilharem mais.

Corinthians e Flamengo duelam esta noite em Itaquera (Foto: Divulgasção)

Desde que Eduardo Bandeira de Mello assumiu a presidência do Flamengo, no começo de 2013, o clube viu sua realidade financeira melhor, fez contratações caras e de impacto. No entanto, o sucesso nos gramados não se repetiu.

Eliminado na fase de grupos da Libertadores em 2014 e 2017, o máximo que o time conseguiu foi as oitavas de final desta temporada. No Brasileirão, o melhor desempenho foi o terceiro lugar em 2016. No ano seguinte, terminou em sexto. Antes disso, sob a gestão Bandeira, a equipe conseguiu, no máximo, uma décima colocação.

Assim, o único título a nível nacional foi o da Copa do Brasil em 2013, no primeiro ano do presidente à frente do Flamengo. Além disso, ele conseguiu duas taças do Estadual, em 2017 e 2017. Vale lembrar que esta é a última temporada de Bandeira de Mello à frente do clube, uma vez que já foi reeleito e não pode mais concorrer ao cargo.

Além da Copa do Brasil, a equipe carioca ainda sonha com o Brasilieirão, no qual ocupa a quarta colocação com 48 pontos, três a menos do que o líder São Paulo.

Do outro lado do confronto da semifinal da Copa do Brasil, a falta de títulos está longe de ser uma tônica. Isso porque o Corinthians conquistou nada menos do que duas das últimas três edições do Campeonato Brasileiro, mesmo tendo um elenco desacreditado na última temporada. Além disso, é o atual bicampeão estadual.

No entanto, quando o assunto é dinheiro… Até julho, os paulistas tiveram déficit de R$ 17,3 milhões em 2018. O prêmio pela vaga na final do torneio nacional é de R$ 20 milhões, suficiente para cobrir o buraco nas contas até aqui. Caso consiga o título, o valor sobe para R$ 50 milhões.

Além disso, R$ 20 milhões também é valor que ajuda o Corinthians a cobrir o que vem tendo com despesas extraordinárias com a Arena, dinheiro que tem saído dos cofres, e não das receitas do estádio. Em 2016, essa quantia foi de R$ 24,8 milhões; e, em 2017, R$ 26,5 milhões.

A quantia ainda superaria quase todas as vendas que o Corinthians fez no ano – única exceção é Maycon, que rendeu perto disso (R$ 22 milhões). Balbuena saiu por R$ 18 milhões; Rodriguinho, pouco mais de R$ 15 milhões; e Sidcley fez os alvinegros embolsaram apenas R$ 2,2 milhões.

Segundo o orçamento, R$ 20 milhões é bem mais do que o Corinthians projeta em gastos com direitos de imagem de atletas, R$ 12,9 milhões. No balanço de 2017, inclusive, o clube mostrava ter ao menos R$ 9 milhões para pagar para atletas que já deixaram o clube: Cristian e Jô.

Corinthians e Flamengo se enfrentam na Arena Corinthians, em São Paulo, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), pela volta da semifinal da Copa do Brasil. No duelo de ida, houve empate por 0 a 0 no Maracanã. Como o gol fora de casa não é um critério de desempate, uma nova igualdade por qualquer placar leva a decisão às penalidades.

O vencedor irá decidir o título contra quem passar de Cruzeiro e Palmeiras, que duelam no mesmo horário. No primeiro jogo, os mineiros ganharam por 1 a 0 em pleno Allianz Parque.

 

Comentários