Por final, Boca planeja “agredir e aguentar” contra o Palmeiras

O Palmeiras leva o jogo para os pênaltis se ganhar por 2 a 0 e precisa de três gols de diferença para avançar diretamente.

Algoz do Palmeiras na Bombonera, o Boca Juniors pode perder por até um gol de diferença para avançar à decisão da Copa Libertadores. Em vantagem, o atacante Mauro Zarate planeja como fazer para ter sucesso no confronto do Allianz Parque, marcado para as 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira.

O Boca Juniors, defendido por Mauro Zarate, está em vantagem na semi (Foto: EFE)

“Com certeza, vai ser sofrido. Vamos ter que correr muito e, mais do que qualquer coisa, estar atentos no sistema defensivo. Precisamos evitar que façam um gol rápido, porque complicaria as coisas. Será necessária agredir e aguentar”, receitou Zarate, com passagens por clubes como Lazio, Internazionale e Fiorentina.

Ao falar sobre o confronto com o Palmeiras, Carlos Izquierdoz também previu dificuldades. Embora o Boca Juniors defenda uma vantagem confortável pela vitória por 2 a 0 na Bombonera, o time não pode ficar acuado, de acordo com o zagueiro.

“A concentração será chave. Precisa fazer o máximo de esforço e não se fechar atrás demasiadamente rápido. Tampouco devemos sair para jogar como loucos. O Palmeiras é um time inteligente, ordenado. Cada atleta deve entrar focado em sua tarefa”, declarou Izquierdoz.

A tendência é que o Boca Juniors entre em campo para enfrentar o Palmeiras com a seguinte formação: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallan e Olaza; Nandez, Barrios e Pablo Perez; Villa, Pavon e Ábila. Com o técnico Guillermo Barros Schelotto suspenso, Gustavo Barros Schelotto comandará o time do banco de reservas.

O Boca Juniors garante presença na decisão da Copa Libertadores até em caso de derrota por um gol de diferença. Se marcar fora de casa, pode perder por dois gols.

O Palmeiras leva o jogo para os pênaltis se ganhar por 2 a 0 e precisa de três gols de diferença para avançar diretamente.

Comentários