Por falta de quórum Câmara termina sessão e anuncia prefeito as 11h30

Acontece neste momento uma reunião de emergência para discutir quem vai assumir o comando da Prefeitura Municipal de Campo Grande e da Câmara dos Vereadores. A reunião acontece no gabinete da presidência da Câmara é em decorrência da operção Cofee Break, deflagrada pelo Gaeco que afastou o prefeito Gilmar Olarte (PP) e o presidente do legislativo, Mario Cesar Oliveira (PMDB) na manhã desta terça-feira.

Plenário da Câmara nesta terça-feira Foto Silvio Ferreira
Plenário da Câmara nesta terça-feira Foto Silvio Ferreira

Participam da reunião oo procurador-geral do município, Fábio Castro Leandro, oo procurador jurídico da Câmara, Fernando Pineis, e o primeiro vice-presidente do legislativo, Flavio Cesar (PTdoB).

Pela LOM (Lei Orgânica do Município), o prefeito será o primeiro vice-presidente, Flavio Cesar. O presidente do legislativo é o segundo vice-presidente, Thaís Helena (PT).

Na manhã desta terça-feira, o coordenador do Gaeco, promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira, acompanhando um oficial de Justiça entregou a notificação do afastamento do prefeito e do presidente da Câmara na Procuradoria-Geral do Município e a procuradora do município que atua na Câmara Municipal, Idiné Moura de Castro.

Na decisão, o desembargador determina que os dois devem permanecer afastados dos cargos até o final das investigações ou até o surgimento de circunstâncias que motivem uma alteração. Ele também estipula que Olarte não poderá se aproximar do prédio da prefeitura e Márcio César das dependências da Câmara.

Além dos afastamentos, o desembargador também determinou que oito vereadores: o próprio Márcio César (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), José Airton Saraiva (DEM), Waldecy Batista Nunes, o Chocolate (PP), Giomar Nery de Souza, Carlos Augusto Borges (PSB), Edson kiyoshi Shimabukuro (PTB) e Paulo Siufi Neto (PMDB), além do vereador afastado e atual secretário municipal de Saúde, Jamal Mohamed Salém, do ex-vereador José Alceu Padilha Bueno e que os empresários João Alberto Kramp Amorim dos Santos, João Roberto Baird e Fábio Portela, fossem conduzidos para prestarem depoimento na sede do Gaeco.

O desembargador determinou ainda que fossem aprendidos aparelhos celulares destas 13 pessoas e ainda do prefeito e dos vereadores Eduardo Pereira Romero (PT do B), Flávio César Mendes de Oliveira (PT do B), Otávio Augusto Trad Martins (PT do B). Os mandados foram cumpridos nesta manhã na Câmara.

Ao deixar a Câmara, o promotor Marcos Alex Vera, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), afirmou que só cumpriu as decisões da Justiça. O Tribunal de Justiça não determinou quem assume os cargos.

Olarte e Mario Cesar são alvos da Operação Coffee Break, que apura os crimes de corrupção passiva e ativa e compra de votos para aprovar a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP).

Por falta de quórum, a Câmara de Campo Grande finalizou a sessão desta terça-feira (25) em meia hora e marcou coletiva de imprensa às 11h30 para “anunciar” quem será prefeito interino de Campo Grande.

A sessão contou com a presença dos vereadores: Eduardo Romero (PTdoB), Herculano Borges (SD), Chiquinho Telles (PSD), José Chadid (sem partido), Magali Picarelli e Loester Nunes, do PMDB, Cazuza (PP), João Rocha (PSDB), Thaís Helena, Luiza Ribeiro (PPS), Carla Stephanini (PMDB), Ayrton Araújo (PT) e Francisco Luís Saci (PRTB).

Comentários

comentários