Ponte tem gol mal anulado e Timão chega à semi após sofrimento

O Corinthians sofreu como não havia sofrido diante do Once Caldas, nos clássicos e em outros jogos da Libertadores. Viu um rival assustar, fazer gol legal mal anulado e igualar sua força tática, que tem sido o diferencial da temporada. Mas Tite e seus comandados parecem ter tantos recursos e qualidades que uma hora vai dar certo. E deu. O Timão venceu a Ponte Preta por 1 a 0, neste sábado, na Arena Corinthians, e passou pelas quartas de final do Paulistão.

Corinthians vence a Ponte e está na semifinal do Paulistão (Foto: Leandro Martins/Futura Press)Areté Editorial S.A Diário LANCE!
Corinthians vence a Ponte e está na semifinal do Paulistão (Foto: Leandro Martins/Futura Press)Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Somente após os resultados dos jogos deste domingo (Palmeiras x Botafogo-SP e Santos x XV de Piracicaba) saberá quem irá enfrentar no próximo fim de semana, também em Itaquera, pela semifinal.

Se a Ponte Preta tivesse vencido, seria injusto chamar de zebra. Pequena no jargão futebolístico, a equipe de Campinas agigantou um duelo tático em Itaquera desde o primeiro tempo, quando teve mais posse, mais atitude, mais confiança. E fez um gol legal com Renato Cajá, incorretamente anulado pelo assistente.

A ausência de Guerrero deu a Love a incumbência de ser a referência ofensiva. Mas Love e os companheiros pareciam não se entender. Fernando Bob, Josimar e Bruno Silva povoaram o meio, dando raras brechas a Jadson, Renato Augusto e Elias. O camisa 7 só conseguiu se desprender uma vez, logo aos 10 minutos, quando chegou após triangulação com Fagner e Love, mas bateu sem forças.

Rildo, aberto pela esquerda, e Biro Biro, pela direita, atormentavam a zaga alvinegra. O cerebral Renato Cajá sempre tinha opções para iniciar as jogadas. E tinha tempo para pensar e criar.

Aos 37 minutos, Biro Biro deu lindo passe e encontrou Juninho, livre, na cara de Cássio. O lateral bateu e o Paredão do Timão fez bela defesa. No rebote, Renato Cajá abriu o placar, em posição legal, menos para o auxiliar, que errou ao levantar a bandeira. Minutos mais tarde, mais uma vez Cajá apareceu sem marcação e cabeceou após cruzamento de Rodinei. Outro milagre de Cássio, que espalmou para escanteio.

A volta do intervalo transformou a equipe de Tite. Em 10 minutos, a Macaca não conseguiu ver a bola. Elias, Love e Renato Augusto já havia desperdiçado chances até o gol, enfim, sair da garganta do corintiano. Renato apareceu na entrada da área, contou com belo pivô de Love para receber de volta e, já dentro da área, bater. Matheus não conseguiu espalmar e a bola morreu devagar, sem forças, no fundo das redes.

Como mostrou na hora do gol, Love teve seus melhores minutos em campo. Ainda deu tempo de fazer outras boas jogadas antes de sair para a entrada de Danilo. Guto Ferreira demorou quase 30 minutos para trocar Biro Biro e Bruno Silva por Roni e Wellington, respectivamente.

O fato é que Cássio, após os milagres do primeiro tempo, não fez defesas nos últimos 45 minutos – apenas uma após jogada aérea, em jogada que o assistente marcou impedimento. O Corinthians venceu mais uma, chegou a 24 jogos invicto em 2015 e a 30 jogos sem perder na Arena Corinthians. E segue firme na luta pelo 28º título estadual.

FICHA TÉCNICA CORINTHIANS 1 X 0 PONTE PRETA

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 11 de abril de 2015, às 16h20 (de Brasília)
Juiz: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto (SP) e Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP)
Público/Renda: 33.438 pagantes / R$ 2.283.546.
Catões Amarelos: Elias, Jadson e Emerson Sheik (COR); Pablo e Biro Biro (PON)
GOL: Renato Augusto, aos 10’/2ºT (1-0).

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias (Bruno Henrique, 43’/2ºT), Jadson, Renato Augusto e Emerson Sheik (Mendoza, 40’/2ºT); Vagner Love (Danilo, aos 25’/2ºT). Técnico: Tite

PONTE PRETA: Matheus; Rodinei, Tiago Alves, Pablo e Juninho; Josimar (Wellington, aos 27’/2ºT), Fernando Bob, Bruno Silva e Renato Cajá; Rildo e Biro Biro (Roni, aos 27’/2ºT). Técnico: Guto Ferreira.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários