Poluição do ar prejudica bebê antes do nascimento, diz pesquisa

A pesquisa levou em consideração amostras placentárias de 25 grávidas (Craig Holmes Premium / Alamy/Alamy)

Um novo estudo, publicado ontem (17) no periódico científico Nature Communications, constatou pela primeira vez que a poluição do ar pode penetrar a barreira da placenta entre mãe e o feto. Partículas de carbono, originadas principalmente pela queima de combustíveis, foram encontradas no lado fetal da placenta, indicando que o bebê pode ser prejudicado pela sujeira no ar mesmo antes de nascer.

A descoberta indica um perigo imenso. Durante esse período que antecede o parto, o feto é extremamente vulnerável. Segundo os cientistas, o contato com a poluição pode prejudicar o desenvolvimento de órgãos ou até mesmo aumentar a chance de abortos.

O estudo analisou 25 placentas de mulheres não fumantes da cidade de Hasselt, na Bélgica. A pesquisa encontrou grande diferença na quantidade de partículas de carbono presentes nas placentas de pessoas que vivem perto de grandes ruas, em relação a quem mora mais afastado de centros urbanos. A contaminação era cerca de duas vezes maior entre as grávidas que residiam nas áreas poluídas.

Comentários