Políticos e empresários prestam depoimento ao Gaeco nesta quarta

O MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), por intermédio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), vai ouvir, a partir da tarde desta quarta-feira(2) e até a manhã de sexta-feira, mais sete pessoas na Operação Coffee Break, desencadeada há pouco mais de uma semana para apurar supostas vantagens de vereadores para votarem pela cassação do prefeito Alcides de Jesus Peralta Bernal (PP), ocorrida em março do ano passado.

Marcos Alex Vera, coordenador do Gaeco Foto Silvio Ferreira
Marcos Alex Vera, coordenador do Gaeco Foto Silvio Ferreira

Segundo a assessoria do MPE-MS, depois das buscas e apreensões e conduções coercitivas realizadas no dia 25 passado, acatadas pela Justiça, quando foram ouvidos oito vereadores, um ex-vereador, secretário municipal e três empresários, agora será a vez de colher depoimentos de mais sete pessoas para apurar os crimes de corrupção passiva.
Entre os depoentes que começam a serem ouvidos hoje (2) está o atual secretário de Governo de Campo Grande, Paulo Pedra (PDT), o vereador Ayrton Araújo (PT), o deputado estadual Cabo Almi, padrinho político de Ayrton –que não é citado no inquérito,- o vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) é outro a depor sobre o assunto. Ele vai depor na quinta-feira.

Foram ouvidos na semana passada os vereadores José Airton Saraiva (DEM), Edil Albuquerque (PMDB), Edson Shimabukuro (PTB), Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), Gilmar Neri de Souza, o Gilmar da Cruz (PRB), Mário Cesar Oliveira da Fonseca (PMDB), afastado da presidência da Câmara por determinação da Justiça; Paulo Siufi (PMDB) e Waldeci da Costa Nunes, o Chocolate (PP); o ex-vereador Alceu Bueno; o então secretário Municipal de Saúde, Jamal Salem, que voltou à sua cadeira no Legislativo e os empresários João Krempe Amorim dos Santos, João Roberto Baird e Fábio Portela Machinsky.

As intimações para os sete novos depoimentos na Operação Coffee Break, segundo a assessoria do MPMS, foram entregues durante a semana e entre os convocados não está agendado o depoimento do ex-prefeito Gilmar Antunes Olarte, afastado da prefeitura por decisão judicial, que levou de volta ao cargo o prefeito cassado Alcides Bernal.

Os depoimentos começam a partir das 13h de hoje e devem terminar por volta de 11h de sexta-feira, em investigações conduzidas pelo coordenador da Força Tarefa do MPMS, promotor de Justiça Thales Franklin Souza, que está aprofundando as investigações nas operações Lama Asfáltica e Coffee Break e pelo coordenador do Gaeco, promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira.

Ausente do noticiário desde seu afastamento, o ex-prefeito Gilmar Olarte reapareceu em sua página social no início desta semana, assegurando que está reunindo documentos para provar sua inocência na acusação de contatos com empresário para garantir a cassação de Bernal.

Comentários

comentários