Polícia investiga suposto estupro ocorrido em confraternização de PMs

A Polícia Civil investiga estupro de uma policial militar durante festa de confraternização realizada na casa de outro policial, no fim de semana. A vítima, uma cabo de 33 anos, denunciou o caso na tarde de ontem.

A policial estava na festa e em determinado momento, ela teria começado a se sentir mal. O dono da casa então teria dito que ela poderia descansar no quarto. Ela contou que desmaiou e quando acordou no dia seguinte estava no chão de um quarto, nua.

Percebendo que havia sido violentada sexualmente, a mulher denunciou o caso à polícia.

Para a polícia, a militar ainda relatou que acredita ter sido dopada pelos colegas que a estupraram e que não se lembra de nada, mas que foi ameaçada pelo policial no dia seguinte.

Com vergonha, ela inicialmente não contou o caso, mas decidiu procurar a delegacia na tarde de ontem. Abalada, mulher deverá ter acompanhamento psicológico e psiquiátrico na Casa da Mulher Brasileira.

A delegada da Deam, Fernanda Felix Carvalho, confirmou que está investigando o caso, que tem como suspeitos dois policiais. No entanto, segundo a delegada, o inquérito está sob sigilo, para preservar a vítima, e por isso, detalhes sobre o que já foi apurado não podem ser revelados.

Comentários