Polícia identifica e pede prisão de motorista que matou mãe e filha

Na manhã desta terça-feira (03) a Polícia Civil de Nova Andradina pediu, junto ao Poder Judiciário, a prisão temporária de Odenir Rodrigues dos Santos, de 38 anos, o condutor da caminhonete GM Silverado que atingiu e matou duas mulheres que estavam em uma Honda Biz. O acidente ocorreu na noite de domingo (01) na MS-134, a cerca de 300 metros da entrada do Bairro Jardim Universitário. As vítimas eram mãe e filha, identificadas como Roselene Temóteo Nascimento, de 44 anos, e Máyra Temóteo Carvalho, de 20 anos.

Corpos de mãe e filha foram sepultados em Santópolis do Aguapeí (SP) - Imagem: Redes Sociais
Corpos de mãe e filha foram sepultados em Santópolis do Aguapeí (SP) – Imagem: Redes Sociais

Logo após o acidente, a Polícia Civil realizou diligências e conseguiu identificar o condutor da caminhonete, que havia abandonado o veículo e deixado o local. O delegado que cuida do caso trabalhava com a hipótese de que Odenir Rodrigues dos Santos poderia se apresentar à polícia acompanhado de um advogado, porém, até o início da manhã desta terça-feira (03), isso não havia ocorrido. Diante dos fatos, a autoridade policial representou pela prisão temporária do condutor.

Segundo o site Nova News, a prisão temporária tem validade por cinco dias e pode ser convertida em prisão preventiva, que pode durar por 30 dias. Segundo a polícia, geralmente em casos semelhantes, quando há pessoas em óbito, os condutores envolvidos em acidentes se apresentam às autoridade horas depois, alegando que deixaram o local dos fatos por medo de reações violentas por parte de testemunhas ou familiares das vítimas, porém, como já foi transcorrido tempo significativo, o fato de ele não se apresentar pode ser visto como se ele quisesse omitir algo ou se recuperar de uma suposta embriaguez, por exemplo.

“Se tivesse deixado o local por medo de represálias, ele poderia ter se apresentado na Delegacia de Polícia na mesma noite do acidente ou no dia seguinte, porém, o fato de ele não comparecer perante às autoridades até agora, não é visto com bons olhos. O argumento geralmente usado nestes casos, de que o condutor deixa a cena da colisão apenas por medo de alguma reação, simplesmente cai por terra. Ele terá que apresentar outra justificativa ”, explica a polícia.

CASO

Mãe e filha estavam na Biz e seguiam pela rodovia em direção ao Bairro Jardim Universitário, quando foram atingidas pela caminhonete que seguia no sentido contrário. A suspeita é de que Odenir, condutor da Silverado, invadiu a contramão.

Depois da colisão, o motorista perdeu o controle da direção e arrastou a moto por aproximadamente 200 metros. Em seguida, a caminhonete saiu da pista.

Por conta do impacto, Roselene e Mayra foram arremessadas. Equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada, mas as vítimas morreram no local do acidente. Já o motorista, que segundo testemunhas, estava visivelmente embriagado, fugiu.

A caminhonete foi apreendida e encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil.

Segundo familiares das vítimas, Mayra morava em São Paulo e estava há dois em Nova Andradina, visitando a mãe. No momento do acidente, as duas voltavam da casa do irmão de Roselene, no centro da cidade, onde passaram o dia.

Comentários

comentários