Polícia caça 5º suspeito da morte de ex-vereador e esposa

Da Redação/JN

Equipes da Polícia Militar e Polícia Civil retomaram as buscas, nesta quinta-feira (20), pelo suspeito de envolvimento na morte do ex-vereador de Campo Grande Cristóvão Silveira (PSDB) e da esposa dele, Fátima Silveira.

Helicóptero é usado nas buscas por suspeito de envolvimento na morte de ex-vereador de Campo Grande (Foto: Carla Salentim/ TV Morena)

O caseiro da chácara Rivelino Mangelo, 45 anos, e dois filhos dele Rogério Nunes Mangelo, 19 anos, e Diogo André dos Santos Almeida, 21 anos foram presos. Outro envolvido, Diogo André dos Santos Almeida, 19 anos, morreu em confronto com a polícia na fronteira com a Bolívia.

A suspeita é que o homem esteja escondido nas matas em um morro em Corumbá, em Mato Grosso do Sul, na fronteira do Brasil com a Bolívia.

A área foi cercada por policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Rouba a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope), além de policiais civis e militares. Um helicóptero é usado nas buscas.

O homem procurado não foi identificado e participou da troca de tiros na quarta-feira (19), em Corumbá. Ele foi perseguido, mas conseguiu fugir, segundo a Polícia Civil.

As investigações apontam que ele teria ficado encarregado de levar a caminhonete do ex-vereador para a Bolívia, onde seria vendida. O comparsa dele, Diogo, morreu durante o confronto com a polícia.

A caminhonete foi recuperada após troca de tiros e capotagem, a sete quilômetros de Corumbá. A dupla teria voltado ao local onde as polícias Civil e Militar faziam cerco desde o momento em que os suspeitos tombaram o veículo na estrada vicinal, quando tentavam ir para o país vizinho.

A polícia acredita que o crime tenha sido planjeado há uma semana. Até o momento, três pessoas foram presas por suposto envolvimento no duplo homicídio, um suspeito morreu e outro fugiu.

Crueldade

O ex-vereador de Campo Grande, Cristóvão Silveira (PSDB), e a esposa dele, foram mortos a facadas terça-feira (18). Os corpos foram encontrados na chácara da família, na MS-080, saída para Rochedo, em Campo Grande. Conforme a polícia, e a mulher teve parte do corpo carbonizado e a caminhonete da família foi roubada.

Segundo o Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChoque), o caseiro foi preso em seguida do crime e dois filhos dele horas depois. A caminhonete foi recuperada após troca de tiros e capotagem, a sete quilômetros de Corumbá.

O latrocínio foi descoberto depois que a polícia foi avisada que um homem ferido estava em um bar na área rural da MS-080, dizendo que havia sido assaltado. O homem era o caseiro e alegou, em um primeiro momento, que tinha sido assaltado e foi levado para atendimento médico.

Após as buscas, os corpos foram achados em um galpão. No sítio do casal havia porta arrombada e muitas manchas de sangue.

Com os depoimentos contraditórios, o caseiro foi preso e confessou a participação dos demais envolvidos. Um dos suspeitos foi preso em Anastácio e estava com alguns objetos roubados, dentre eles um televisor.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Repressão a Rouba a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras).

De acordo com Câmara Municipal de Campo Grande, Silveira foi vereador por cinco legislaturas, entre 1997 e 2012.

Comentários

comentários