Pokémon fez surgir roubos e ontem dois esfaqueados no Parque das Nações

PokemA aglomeração por causa do “Pokémon Go”, com alta distração de adolescentes e jovens, aliado ao  pequeno efetivo de policiais para a demanda de visitantes e fiscalização da área do Parque das Nações Indígenas, tem sido propicia para o aumento de roubos fora ou mesmo dentro das principal área de lazer de Campo Grande. E neste domingo (4), não só a perda do celular, que é a maior subtração, que tem sido registrada, houve o extremo da violência com dois jovens sendo feridos a facada, após reagiram a um assalto em frente ao Parque, nos alto da Avenida Afonso Pena.

Ontem a noite, um adolescente de 16 anos e um jovem de 19 foram esfaqueados em frente ao portão central do Parque das Nações na Afonso Pena. De acordo com descrição na polícia, dois bandidos tentaram roubar os celulares das vítimas, que reagiram e foram feridas com uma faca. Os garotos foram socorridos pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhadas para a Santa Casa. Como foi ‘pouco’ o ferimento, eles já receberam alta e estão fora de perigo.

Uma equipe da PM (Polícia Militar) que tem base no local, mas não fica o tempo todo no Parque, porque atende demanda fora, foi acionada e realizou rondas na região para tentar encontrar os suspeitos, porém, sem sucesso na busca, afirmou o sargento da cavalaria montada da PM, Fabrizzio Lima, que ressaltou “que a guarnição realiza frequentes rondas dentro e fora do parque, porém, algumas situações deixam a vítima vulnerável à criminalidade e a PM não consegue intervir a tempo”, disse.

Arrastão

Os roubos já estão ocorrendo até em arrastão dentro do Parque, como foi registrado pelo menos dois nos últimos dias. Na véspera do último feriado de 26 de agosto, houve duas ocorrências, como o Página Brazil noticiou, e outros casos posteriores vem sendo relatado nas redes sociais. Assim, os casos de roubos e furtos no parque têm deixado a população insegura na hora da caminhada ou no lazer dentro da reserva e segundo a equipe policial da base comunitária do local, a situação tem sido contínua nos últimos dias.

Park2Um policial, que não quis se identificar, contou que o efetivo da equipe é pequeno demais para a demanda de visitantes e a febre do jogo do Pokémon Go levou muita gente ao Parque e também o interesse e os atos dos bandidos ou mesmo de delinquentes até de ‘família’, que veem os bons celulares a disposição e estão praticando os assaltos. “Praticamente todos os dias ocorrem assaltos na região, que alguém nos procura ou depois ouvimos falar”, relatou o PM.

O policial completou “Devido às frequentes ocorrências, ficamos 24 horas rodando o parque, mas o número de pessoas é grande demais para nossa equipe. Há câmeras de segurança no parque, porém, também não conseguem cobrir toda a área. Mas, acima de tudo, o Pokémon Go tem facilitado os roubos. A garotada anda com o celular na mão e os ladrões aproveitam. Desde então muitos casos assim acontecem ou passaram a ocorrer aqui”, explica.

 

Comentários

comentários