PMA multa responsáveis por destruir matas ciliares de córregos

A PMA (Polícia Militar Ambiental) localizou nesta segunda-feira (7), em Miranda, um desmatamento envolvendo matas ciliares na margem de um córrego, no bairro Nova Laranjeira.

Uma das áreas destruídas (Foto: Divulgação)
Uma das áreas destruídas (Foto: Divulgação)

No local foi constatado que a proprietária de um lote desmatou a vegetação nativa, onde foram derrubadas árvores das matas ciliares do córrego Vilas Boas, que se trata de APP (área de preservação permanente).

Além da derrubada das matas ciliares, a infratora, empurrou todo o material da área desmatada de 1500 m² para até um metro de distância da margem do córrego. Ela foi multada em R$ 5 mil e as atividades foram paralisadas.

A infratora foi conduzida a Delegacia de Polícia Civil de Miranda e responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente.

A pena é de um a três anos de detenção. O autuado foi notificado a apresentar junto ao PRADE (órgão Ambiental Estadual um plano de recuperação da área degradada).

Em Campo Grande, a PMA também recebeu denúncias de que o proprietário de uma chácara estaria degradando as matas ciliares de um córrego APP (área de preservação permanente).

A PMA deslocou-se até o local da denúncia, uma chácara, localizada na estrada de acesso ao local conhecido como “Inferninho”, zona rural de Campo Grande, e verificou a veracidade da denúncia.

O empresário, residente na Capital, realizou com uso de máquinas, a limpeza de dois açudes em sua propriedade, destruindo parte da mata ciliar de um curso d’água. Toda a atividade era realizada sem nenhuma autorização ambiental.

As atividades foram interditadas e o infrator foi autuado administrativamente, recebendo multa de R$ 5 mil. Ele também responderá por crime ambiental e se condenado, poderá pegar pena de um a três anos de detenção.

O autuado também foi notificado a apresentar junto ao PRADE (órgão ambiental um plano de recuperação da área degradada).

Comentários

comentários