Plano Safra da Agricultura Familiar terá R$ 282 milhões de investimentos em MS

Diretor Presidente da Agraer, Enelvo Felini.(Foto: Paulo Francis)
Diretor Presidente da Agraer, Enelvo Felini.(Foto: Paulo Francis)

Estará disponível desde 1 de julho o recurso de R$28,9 bilhões de reais do Plano Safra da Agricultura Familiar 2015/2016 a serem aplicados em todo o País, sendo R$ 282 milhões de reais destinados somente para o estado de Mato Grosso do Sul. O valor recorde de dinheiro é direcionado para financiar a agricultura familiar com taxas de juros abaixo da inflação, variando entre 0,5% e 5,5%, dependendo da região e do valor financiado. Os agricultores familiares do Semiárido encontram créditos com juros ainda mais baixos, entre 0,5% e 4,5%.

De acordo com o Diretor Presidente da Agraer(Agência de Desenvolvimento e Extensão Rural), Enelvo Felini, o órgão já está executando os projetos conforme a procura dos produtores. ” A Agraer está a disposição, estamos com escritórios de atendimento em todos os municípios do estado levando a orientação ao produtor rural. Temos muito a investir, como aumentar a produção de leite, melhorar a pastagem, melhorar o rebanho, e principalmente o hortifrúti granjeiro que ainda depende da importação de muitas frutas de outros estados e isso é inadmissível já que temos mais de 70 mil pequenas propriedades rurais com capacidade de produção”, afirma.

O Diretor ressalta que pelo menos 95% dos recursos do Pronaf(Programa Nacional da Agricultura Familiar) chegam ao estado por meio dos projetos executados pela Agraer. O montante destinado a agricultura familiar de Mato Grosso do Sul contribuirá com o fortalecimento de assentamentos e cooperativas, que são responsáveis por cultivar grande parte dos alimentos que chegam até a cidade.

Felini frisa que o Banco do Brasil e os demais bancos estão orientados a auxiliar o produtor como adquirir esse crédito, e a Agraer à orientar e elaborar os projetos com o intuito de desenvolver e melhorar a vida do homem do campo. ” Venham até a Agraer que nós elaboramos o projeto tecnicamente e encaminhamos ao banco, que no caso é quem faz a avaliação de crédito. O produtor tendo as suas garantias necessárias o projeto é aprovado e o dinheiro sai rapidamente para ser investido , para que nós posamos fomentar o desenvolvimento do estado e melhorar a produção do campo sensivelmente, com lucratividade e bem estar”, finaliza Enelvo.

Paulo Francis

Comentários

comentários