Planalto coloca Marcos Derzi como novo superintendente da Sudeco

Lùcio Borges

Foto: Reprodução – Facebook)

A Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste) já está com nova direção, sendo nomeado o empresário Marcos Henrique Derzi, que era servidor no DNIT-MS (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Derzi foi nomeado nesta sexta-feira (23), para chefiar o órgão no lugar de Antônio Carlos Nantes, Sul-mato-grossense, que entrou em rota de colisão com direção nacional e até partidária, após ter a pretensão de se candidatar a presidência da Republica pelo PMDB. Nantes, que foi nomeado no órgão em outubro de 2016, se lançou e esta divulgando candidatura desde inicio de ano.

Derzi, que estava na coordenador-geral de Administração Hidroviária do DNIT, em de indicação  do senador Pedro Chaves (PRB), com aval também do ‘ministro de MS’, Carlos Marum. O agora já superintendente falou abertamente que recebeu o convite e que ratificou a indicação do seu nome ao Palácio do Planalto. “O senador passou meu nome ao governo, que foi avalizado pelo ministro (Secretaria de Governo) Carlos Marun. Ele ponderou que vamos estar muito motivado para realizar um ‘bom trabalho’ no Centro-Oeste”, disse Derzi.

O novo comandante da Sudeco que coordenava a área Hidroviária do DNIT, tendo a função de cuidar as hidrovias do rio Paraguai, apontou que este trabalho vai lhe ajudar na nova missão, tendo em vista que já tratava de assuntos da região com outros Estados. “Já tinha este contato direto com os estados vizinhos, como em Cáceres no Mato Grosso, cuidando da hidrovia, vou usar destes contatos e experiência. E a Superintendência é de Desenvolvimento do Centro-Oeste, que faremos outros diversos serviços”, ponderou.

Derzi inclusive já está participando nesta manhã (23), em Campo Grande, de uma reunião com o ministro Carlos Marun, para conversar sobre os trabalhos na Sudeco. “Vou aproveitar para saber mais detalhes e se colocar a par dos projetos e trabalhos desenvolvidos no órgão”.

Mudança é devido a política

O ministro Carlos Marun, que esteve na manhã desta sexta-feira, no Grupo Capital de Comunicação, ao vivo no Programa Tribuna Livre e em entrevista ao Página Brazil, comentou o que já falou em outra oportunidades, que Antônio Carlos Nantes, se esqueceu da função e partiu só para política. Veja outros assuntos tratados pelo ministro em nossa entrevista.

Assim, ele ratificou que ele foi exonerado hoje da função, por questões políticas. “Ele sempre foi um homem honrado e fez um bom trabalho na Sudeco, mas sua saída é por ter pretensões políticas incompatíveis com a sua função”, disse Marun, que extra-oficialmente ainda cometa que ele quer a mesma função dos caciques do partido.

Nantes havia anunciado que seria pré-candidato a presidência da República, inclusive disputando prévias dentro do partido. O impasse segundo Marun, foi porque ele teria dito que foi ‘oferecido ministério’ para que desistisse da empreitada. “Isto nunca ocorreu, não foi oferecido nada. E ainda ele foi uma indicação da base parlamentar do MDB de Mato Grosso do Sul, no entanto depois das pretensões e muitas declarações, ele perdeu este apoio político”, explicou Marun.

Nantes declarou que “sai pela porta da frente” e que não tinha a reclamar do Palácio do Planalto, já que deixaria o cargo em abril. Veja todo seu histórico em matéria de sua nomeação há 1,4 ano “três décadas depois, ex-deputado do MDB é nomeado por Temer na Sudeco“.

Comentários

comentários