Pintura ‘falsa’ de Botticelli é verdadeira, afirmam restauradores britânicos

Portal G1

Os restauradores retiraram a sujeira e o verniz amarelado, revelando as verdadeiras cores da pintura — Foto: ENGLISH HERITAGE
Restauradores retiraram a sujeira e o verniz amarelado, revelando verdadeiras cores da pintura (Foto: ENGLISH HERITAGE)

Especialistas que restauravam uma “réplica” de um quadro de Botticelli descobriram que a pintura foi feita, na verdade, no estúdio do próprio mestre da Renascença italiana. Até então, a obra era considerada uma cópia feita por autor desconhecido, anos depois, da Madonna della Melagrana, pintada por Sandro Botticelli em 1487.

Mas os restauradores do English Heritage, órgão público responsável pelo patrimônio histórico inglês, mudaram de ideia após raspar o verniz amarelado da pintura. Uma série de análises aprofundadas revelou que, de fato, a pintura foi originada durante o século 15 no estúdio de Botticelli em Florença, na Itália.

O English Heritage afirmou que consultou especialistas do Victoria & Albert Museum e da National Gallery, ambos em Londres, para confirmar a origem da obra de arte. “Em termos de estilo, era muito parecida para ser uma imitação, era do mesmo período, tecnicamente correta e pintada sobre álamo, material usado frequentemente na época”, diz Rachel Turnbull, restauradora de coleções do English.

A obra de arte durante o trabalho de restauração — Foto: ENGLISH HERITAGE
A obra de arte durante o trabalho de restauração — Foto: ENGLISH HERITAGE

“Após a remoção do verniz amarelado, exames de raios-X e infravermelho revelaram um desenho preparatório (feito antes de a pintura ser aplicada), incluindo alterações na composição final que são pouco frequentes em imitações.”

A pintura era considerada uma cópia de autoria de um artista desconhecido porque havia pequenas variações em relação ao original, que é maior e está em exibição na Galeria Uffizi, em Florença.

“Botticelli, como outros pintores florentinos contemporâneos, tinha um estúdio movimentado que elaborava versões e adaptações, supostamente a preços mais baixos, de obras que eram populares”, explica Paul Joannides, professor emérito de História da Arte na Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

“Apenas recentemente, com métodos mais avançados de análise técnica, é que o status destas pinturas pode – pelo menos até certo ponto – ser determinado”.

Acredita-se agora que o afresco – que pertence à coleção da Ranger’s House, em Greenwich, em Londres – seja a versão mais próxima da obra-prima de Botticelli de 1487, que mostra uma melancólica Virgem Maria segurando Jesus Cristo bebê no colo e uma romã, rodeada por anjos.

O quadro foi comprado pelo magnata dos diamantes Julius Wernher, em 1897, e mantido como parte da coleção de arte de sua mansão georgiana em Greenwich.

A Madonna della Melagrana estará em exposição na Ranger’s House a partir de 1º de abril.

Comentários