Pinato vai relatar processo de Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara

O deputado de primeiro mandato Fausto Pinato (PRB-SP) foi anunciado nesta quarta-feira (4) para a relatoria do processo de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética da Casa.

O deputado federal Fausto Pinato (PRB-SP) foi escolhido relator do processo que investigará Eduardo Cunha no Conselho de Ética (Foto: Câmara dos Deputados)
O deputado federal Fausto Pinato (PRB-SP) foi escolhido relator do processo que investigará Eduardo Cunha no Conselho de Ética (Foto: Câmara dos Deputados)

O parlamentar paulista foi escolhido em uma lista tríplice pelo presidente do órgão, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA).

O processo de quebra de decoro parlamentar, que pode resultar em absolvição, censura, suspensão ou cassação do mandato de Cunha, foi instaurado na tarde desta terça pelo Conselho de Ética.

Vice-presidente do Conselho de Ética, Pinato foi eleito deputado federal na eleição do ano passado com apenas 22 mil votos. Ele entrou no Legislativo na esteira dos votos do deputado Celso Russomano, campeão de votos em São Paulo.

Caberá ao deputado do PRB elaborar, em até dez dias, um parecer preliminar defendendo a continuidade ou o arquivamento do processo no Conselho de Ética.

Investigado pela Operação Lava Jato, o presidente da Câmara é acusado pelo PSOL e pela Rede Sustentabilidade de ter mentido em depoimento à CPI da Petrobras em março, quando disse não possuir contas bancárias no exterior.

Documentos enviados pelo Ministério Público da Suíça ao Brasil mostram que Eduardo Cunha e familiares têm contas bancárias no país europeu. O Supremo Tribunal Federal autorizou abertura de inquérito para investigar as suspeitas contra o peemedebista.

Nesta terça, após a reunião do órgão, Pinato não quis emitir opinião sobre as provas apresentadas até agora.

Deputados que defendem a cassação de Eduardo Cunha ouvidos pelo G1 demonstraram preocupação com a inexperiência de Pinato. O temor dos parlamentares é de que ele poderia ser alvo fácil de pressão por parte do presidente da Câmara.

Questionado por jornalistas sobre se sua inexperiência parlamentar, já que está em seu primeiro mandato, poderia prejudicá-lo como relator do processo de cassação de Eduardo Cunha, Pinato disse que é “independente” e está preparado para sofrer eventuais pressões se for escolhido relator.

“Eu não tenho nenhuma relação [com Cunha], sou independente […] Estou preparado para sofrer qualquer tipo de pressão. Se não [estivesse preparado], não estaria no Conselho de Ética”, ponderou Pinato.

G1

Comentários

comentários