Piffero detona juiz, CBF e reclama de ‘ponto roubado’ contra o Corinthians

Piffero descarta tentar anular partida contra o Corinthians (Foto: Internacional)
Piffero descarta tentar anular partida contra o Corinthians (Foto: Internacional)

O presidente do Internacional, Vitorio Piffero, detonou a arbitragem de Rodolfo Toski Marques (PR), na derrota para o Corinthians, em Itaquera, em especial pelo pênalti que resultou no gol da vitória do time da casa.

No lance, o juiz viu empurrão de Ernando em Romero dentro da área e marcou a penalidade – irregularmente, na opinião do cartola, para quem o Inter teve “um ponto roubado”.

“Na opinião geral, não foi pênalti. Aumentou nosso risco de rebaixamento por causa de um árbitro que inventou esse pênalti. Nos roubaram um ponto hoje. Estamos nessa situação por causa de nossas atuações fracas, mas hoje não merecíamos a derrota”, disse, irritado, Piffero, que revelou ter avisado ao secretário-geral da CBF, Walter Feldman, sobre “confusões recentes” causadas por Toski Marques, e com o presidente da entidade Marco Polo Del Nero.

“Essa conta vai para a CBF”, declarou o presidente colorado, que lembrou do pênalti não marcado em Tinga, no Brasileirão de 2005, e da final da Copa do Brasil de 2009, dois duelos com o Corinthians marcados por polêmicas. Entre os episódios, o Timão reclama de uma suposta facilitação do Colorado contra o Goiás, em 2007, o que ajudou a rebaixar o time paulista para a Série B.

“Em três jogos decisivos, fomos violentamente garfados aqui (São Paulo). A rivalidade é do Corinthians contra o Inter com a CBF. Desconforto total em vir aqui, jogar e ser garfado”, declarou Piffero, que promete fazer uma “reclamação formal” contra o árbitro.

O dirigente descartou pedir anulação da partida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e promete não jogar a toalha contra a inédita queda para a Série B.

“Seguimos com fé, vamos trabalhar, vamos sair dessa. Enquanto tivermos pontos a serem disputados, vamos disputar briosamente”, disse.

Comentários

comentários