“Picolezeiro” é flagrado em assédio sexual a menina de 7 anos

Lúcio Borges

Campo Grande tem mais um caso de violência sexual registrado, e, para piorar ou a situação ser mais estarrecedora, foi em também mais um ato contra uma criança. Ela tem sete anos, sendo vitima ocorrida no último sábado (28), no Parque do Lageado, região sudoeste da Capital. O violentador-doente fez a máxima de “a ocasião faz o ladrão’ ou se aproveitando da inocência da menina, iniciou o assédio sexual, que no caso, é registrado como estupro de vulnerável, pois é contra menor de 14 anos. A garota foi até a casa do autor, junto da avó, para comprar picolé que o mesmo fabrica.

A situação naquele momento só não foi em consumação pior, pois a avó da menina flagrou o “Picolezeiro” em ato físico no corpo dela. Ela retirou a criança do local e denunciou a polícia, que terá que investigar outras investidas do acusado, que pode ter feito atos em outros momentos. A avó foi até a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) e fez a denúncia contra o homem de 56 anos, que acabou preso no último sábado.

O estupro naquele dia não chegou a um outro extremo pior, de consumação de ato físico, mas a polícia deve investigar a situação e ato do homem, que segundo a criança, não fez isto pela primeira vez. A menina, após na delegacia, apontou que a situação já vem de algum tempo ocorrendo.

Conforme depoimento da mulher, a criança tinha ido até a casa do autor em sua companhia para comprar picolés. A avó contou na delegacia que o homem e sua esposa fabricam e vendem picolés na região do Parque do Lageado. A esposa do picoleizeiro e a avó da menina estavam nos fundos da casa conversando, quando a mulher sentiu falta da neta e foi procurá-la no interior da residência. “Quando cheguei na sala flagrei o homem beijando a boca da menina e passando a mão em seus órgãos genitais”, disse a avó que ainda teria questionado o que estava acontecendo para o autor, mas ele saiu e se trancou em um dos quartos da casa.

Não foi a primeira vez

A menina contou à avó que os estupros estavam acontecendo há pelo menos um ano, sempre que ela ia até a casa do homem para comprar picolés.

A Polícia Militar foi até a casa do autor e, durante sua prisão, ele confessou o crime e disse que já esperava pela prisão.

Nesta segunda-feira (30), o autor passa por audiência de custódia para se determinar ou não sua liberdade ou prisão preventiva.

Comentários