PF prende engenheiro da Agesul apontado como sócio de Giroto

AfifEx-coordenador da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul), João Afif Jorge foi preso na noite de ontem (21) pela Polícia Federal por envolvimento em esquema criminoso investigado pela Operação Lama Asfáltica.

A prisão de Afif, que é preventiva, aquela que não tem prazo determinado, foi expedida pela 3ª Vara Federal. O servidor permanece na Superintendência da Polícia Federal, mas será encaminhado para o sistema penitenciário, a exemplo dos demais presos em consequência da Operação.

Ele é apontado como sócio do ex-secretário de Obras, Edson Giroto, e e a médica Mariane Mariano de Oliveira (filha do servidor Wilson Roberto Mariano de Oliveira) em três fazendas.

Conforme os registros, os imóveis rurais foram adquiridos por R$ 7,4 milhões. Segundo a apuração, tais aquisições são incompatíveis com os subsídios dos referidos servidores públicos.

A fazenda Vista Alegre, no município de Rio Negro, foi adquirida em 2008 pela quantia de R$ 1.730.000,00. Localizada em Corumbá, a fazenda Maravilha foi comprada em 2013 por R$ 5,1 milhões. A fazenda Rio Negro, no município de Rio Verde de Mato Grosso, custou R$ 605.632,08 e foi comprada em 2013.

Além de dividir propriedades rurais com os dois investigados, que estão presos desde que foi deflagrada a Operação Fazendas de Lama, em 10 de maio, João Afif assinou diversos boletins de medições para serviços em rodovias ‘fantasmas’. Segundo a PF, somente nas vias que cortam Campo Grande, o esquema de fraudes em licitações atuou em 265 quilômetros inexistentes ou desnecessários.

“O superdimensionamento na extensão das rodovias a receberem serviços de manutenção em rodovias pavimentadas foi de 265 Km, ou seja, 66,75% do total previsto é indevido, sendo superdimensionado todos os quantitativos e valores contratados, gerando sobrepreço na contratação com posterior superfaturamento quando do ateste fraudulento dos Boletins de Medição, com consequente prejuízo ao Erário”.

Comentários

comentários