PF faz buscas no gabinete do líder do Governo no Senado

Senador Fernando Bezerra e seu filho, o deputado federal Fernando Coelho Filho, são alvo de investigação por suposta ligação com irregularidades em obras da transposição do Rio São Francisco

A Polícia Federal realiza na manhã desta quinta-feira, 19, em Brasília, buscas no gabinete do líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). O apartamento do senador e no gabinete do deputado Fernando Filho (DEM-PE), filho de Bezerra, também são alvos de buscas, além de endereços em Pernambuco ligados aos dois. A operação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e é um desdobramento da Operação Turbulência. O inquérito está sob sigilo.

Policiais isolam corredor do Senado que dá acesso ao gabinete de Fernando Bezerra. Foto: Patrik Camporez / Estadão

Os parlamentares são alvo de investigação por suposta ligação com irregularidades em obras da transposição do Rio São Francisco.

Bezerra foi ministro da Integração do governo Dilma Rousseff, quando ainda estava no PSB, e foi líder de Michel Temer no Senado no ano passado. Em Pernambuco, seu reduto eleitoral, foi secretário no governo de Eduardo Campos, morto em 2014.

Fernando Bezerra Coelho. Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

Ao todo, o senador é alvo de cinco inquéritos, dois deles por supostos crimes contra a lei de licitações quando era prefeito de Petrolina, dois do período em que era secretário estadual e um da época em que foi ministro.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO ANDRÉ CALLEGARI, QUE DEFENDE FERNANDO BEZERRA E O DEPUTADO FERNANDO COELHO FILHO

“Causa estranheza à defesa que medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos que não guardam qualquer razão de contemporaneidade com o objeto da investigação. A única justificativa do pedido seria em razão da atuação política e combativa do senador contra determinados interesses dos órgãos de persecução penal. A defesa ainda não teve acesso ao pedido e à decisão do ministro que autorizou as medidas, mas pode afirmar que as medidas são desnecessárias e extemporâneas”.

Comentários