Pesquisa do Procon detecta preços iguais na venda de GNV tanto no cartão como em dinheiro

Visando proporcionar ao consumidor informações que lhe permitam ter conhecimento dos preços praticados por diferentes estabelecimentos que comercializam combustíveis, equipe de  pesquisadores da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast,  realizaram coleta de preços em sete postos  no que se relaciona  a valores da  venda de Gás Natural Veicular (GNV).

No decorrer dos trabalhos foi verificada diferença de 3,48% nos preços praticados para a venda em dinheiro entre o posto mais barato e o mais caro e de 3,36% em relação à venda por meio de cartão de débito ou crédito nos mesmos estabelecimentos. Os valores de venda encontrados pelos pesquisadores foram R$ 2,898 o mais barato e R$ 2,999 o mais elevado.

Vale ressaltar o registro de que nas três formas de pagamento ( em dinheiro ou cartões de crédito e débito) os valores para a compras não apresentam diferenças. Os estabelecimentos pesquisados foram Posto 1 000 (avenida Manoel da Costa Lima), Aliança (avenida Mato Grosso), Allloy ( avenida Fernando Corrêa da Costa), Miranda ( avenida Marechal Deodoro), Paulista (avenida Calógeras),  Pegoraro ( rua João Rosa Pires) e Pororoca (avenida Costa e Silva).

O maior preço é praticado no Posto Pororoca enquanto o menor, no Posto Miranda. A pesquisa em referência ocorreu no período de 22 a 25 de março em curso. O consumidor que pesquisa preços sempre tem oportunidade de economizar. E, nesse sentido, o trabalho realizado pelo Procon Estadual concorre para a melhor compra em  Campo Grande.

Comentários