Pelé lamenta morte de ex-companheiro Coutinho: ‘Faremos tabelinha no céu’

Rei do Futebol diz ainda que a dupla com o ex-atacante, que morreu nesta segunda-feira, deixou o Brasil mais conhecido

Após a confirmação da morte de Coutinho, Pelé se manifestou e lamentou o falecimento do ex-companheiro de ataque do Santos na década de 60. Juntos, eles conquistaram diversos títulos na época mais vitoriosa da história do clube alvinegro.

Pelé e Coutinho, um das maiores duplas de ataque da história

“É uma grande perda. A tabelinha Pelé Coutinho fez o Brasil ficar mais conhecido no mundo todo. Tenho certeza que um dia faremos tabelinha no céu. Minhas condolências à família”, disse o Rei do Futebol.

Pelé e Coutinho conquistaram juntos seis edições do Campeonato Paulista (1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1967), cinco da Taça Brasil, o Campeonato Brasileiro da época (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965), quatro do Torneio Rio-São Paulo (1959, 1963, 1964 e 1966), duas da Copa Libertadores (1962 e 1963) e duas do Mundial (1962 e 1963).

Pepe, outro ex-companheiro de Coutinho, também comentou sobre a morte do ex-companheiro. “Ele estava com problemas, mas fora isso continuava sendo aquele moço alegre. É um cara feliz, que viveu uma vida feliz até onde deu”, declarou, em entrevista para a Rádio Bandeirantes.

Coutinho foi o companheiro ideal de Pelé. Diz a lenda que Coutinho passou a usar uma faixa branca no punho direito para diferenciar do camisa 10 e passar a ter também os elogios pelas lindas jogadas que realiza em campo. Para muitos, o atacante tinha mais visão de jogo que Pelé na hora de finalizar, o que lhe valeu o apelido de “gênio da pequena área”

Comentários