Pedreira não tinha falha de segurança, diz CMO sobre dinamites roubadas

A pedreira que foi alvo de ladrões na noite de segunda-feira (26), em Campo Grande, não tinha falhas de segurança no armazenamento dos explosivos, segundo informou o Comando Militar do Oeste (CMO) em nota divulgada nesta terça-feira (27). Os bandidos amarraram o segurança do local e roubaram 275 kg de dinamite.

Polícia na pedreira alvo de ladrões, em Campo Grande

A instituição esclarece que a pedreira é cadastrada na Seção de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) da 9ª Região Militar, responsável pela fiscalização dos produtos em Mato Grosso do Sul, e que está com a documentação regular, conforme visita de inspeção feita neste ano.

Ainda segundo o CMO, o uso dos explosivos adquiridos pela pedreira também foi alvo da fiscalização e também foram confirmadas as condições legais da empresa, “não havendo falhas de segurança ou manuseio por parte de seus funcionários”.

Sobre a busca pelo material roubado, o Exército Brasileiro informou ainda que está colaborando com a Polícia Civil nas investigações e ressaltou que todos os explosivos e acessórios são numerados, o que facilita o rastreamento desse tipo de material.

Roubo
Conforme o registro, o segurança foi rendido por volta das 20h (de MS) por dois assaltantes. Um estava com pistola e outro com arma semelhante a revólver. Ele foi levado para um paiol vazio e lá amarrado com retalhos de roupa e agredido.

Os bandidos arrombaram um compartimento onde ficam explosivos e lá pegaram 11 caixas contendo 25 quilos de dinamites cada e 836 metros de cordel. Os assaltantes roubaram ainda a central de monitoramento.

O segurança disse à polícia que ouviu barulho de carro e acredita ser caminhão. Ele ficou ferido devido à agressão dos bandidos e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros para a Santa Casa. De acordo com o hospital, ele passa por exames, está com dores no tórax e estável.

Comentários