Pedágio na BR-163 rende R$ 21,9 milhões em impostos às prefeituras

A CCR MSVia está fechando o ano de 2015 com arrecadação recorde às prefeituras de cidades servidas pela BR-163/MS: R$ 21,9 milhões. O valor é referente ao recolhimento aos cofres públicos municipais do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) sobre a realização de obras e arrecadação de pedágio.

A cobrança de pedágio contribui para a arrecadação ISSQN às Prefeituras. (Foto: Rachid Waqued.)
A cobrança de pedágio contribui para a arrecadação ISSQN às Prefeituras. (Foto: Rachid Waqued.)

Segundo dados da Gestão Administrativo-Financeira da Concessionária, se somados os valores recolhidos este ano com os valores do ano passado (sobre obras realizadas entre abril e dezembro de 2014), a empresa já contribuiu com o desenvolvimento municipal na ordem de R$ 25,4 milhões (R$ 21,9 milhões em 2015 e R$ 3,5 milhões em 2014).

Em 2015, a arrecadação foi muito superior à de 2014 não só em função do maior volume de obras, mas, também, em razão do início de funcionamento das nove praças de pedágio, em meados de setembro. A CCR MSVia calcula que, a partir de 2016, deva arrecadar anualmente cerca de R$ 30 milhões aos municípios em ISSQN sobre obras e pedágios.

Com 845,4 quilômetros de extensão, a BR-163/MS liga longitudinalmente o Estado de Mato Grosso do Sul, indo da divisa com o Paraná, ao Sul (cidade de Mundo Novo), à divisa do Mato Grosso, ao Norte, (cidade de Sonora). Ao todo, a rodovia serve diretamente a 21 municípios, entre eles a Capital, Campo Grande.

Comentários

comentários