‘Pé frio’, Mick Jagger chega a SP em meio a tragédia política no país

Folhapress/JP

O cantor americano Mick Jagger (Foto: Divulgação)

Ele tem fama de pé frio e não é pra menos. Vira e mexe, quando Mick Jagger chega em algum lugar, acaba testemunhando –ou influenciando, como dizem as cômicas teorias da conspiração– algum insucesso. Em seu currículo, geralmente entram experiências relacionadas ao mundo do esporte, mas desta vez foi diferente: tem a ver com política.

O vocalista dos Rolling Stones pisa em solo brasileiro no momento em que acaba de estourar mais uma tragédia na política do país: a divulgação de um áudio que sugere o aval do presidente Michel Temer a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e de Lúcio Funaro, um dos operadores da Operação Lava Jato.

Mick Jagger está no Brasil para comemorar o aniversário de Lucas, seu filho com Luciana Gimenez, que completa 18 anos nesta quinta (18). A festa acontece na sexta (19).

Sete anos de azar

A fama de azarado de Mick Jagger começou em 2010, durante a Copa África. Várias vezes em que aparecia em algum jogo da seleção britânica ou declarava apoio a algum outro time, a equipe perdia. Aconteceu com as seleções da Inglaterra, dos Estados Unidos e também do Brasil.

Na Copa de 2014, foi a mesma coisa. O cantor esteve no estádio do Mineirão junto com o filho Lucas, quando o Brasil perdeu de goleada para a Alemanha –o fatídico 7 a 1. “Eu posso ser responsável pelo primeiro gol alemão, mas não pelos outros seis”, brincou Jagger, na época.

Lucas Jagger, no entanto, parece não ter herdado o azar do pai. Em agosto do ano passado, ele testemunhou duas vitórias do Brasil nas Olimpíadas: no futebol e no vôlei masculinos.

Comentários