Paulista que sumiu quando ia a festa é encontrada em Ipanema; fotos

Daniela Barbosa foi identificada por pessoas que acionaram a Delegacia de Descoberta de Paradeiros, para onde foi levada

A estudante paulista Daniela Barbosa Batista, de 24 anos, foi encontrada, na tarde desta terça-feira, na Rua Farme de Amoedo, em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Ela estava sentada num restaurante e foi reconhecida por algumas pessoas, que acionaram a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), encarregada das investigações do caso. Daniela ainda parece aérea e desorientada, segundo relatos de pessoas que tiveram contato com ela.

A jovem num restaurante Foto: Reprodução do Facebook
A jovem num restaurante Foto: Reprodução do Facebook

Uma foto mandada para o WhatsApp do Extra (21 99809-9952 e 99644-1263) mostra a jovem conversando com duas pessoas na rua. No Facebook, um registro mostra a jovem, parecendo triste, sentada num restaurante e algumas pessoas próximas a ela. Segundo a Polícia Civil, Daniela já está na DDPA e deve prestar depoimento assim que tiver condições. Pai dela, Maurílio Barbosa, também está na especializada.

Desde o sumiço de Daniela, relatos em redes sociais davam conta de que a estudante circulava pela Zona Sul. Ela teria pedido ajuda a policiais militares do 23º BPM (Leblon) mas saído correndo sem que eles tivessem conseguido reagir a tempo.

Daniela deixou o hostel em Botafogo, na Zona Sul do Rio, onde mora desde o início do ano com um amigo, no sábado, para ir a um festival de dança africana na Rua do Lavradio, na Lapa, região central da cidade, no sábado. Amiga dela, Núbia de Almeida Sousa, de 25 anos, conseguiu acessar o perfil de Daniela no Facebook e viu que a jovem havia confirmado presença no evento. Ela também descobriu que a última postagem da estudante foi às 23h de sábado.

A jovem com duas pessoas Foto: Adolfo Maurício / Via WhatsApp
A jovem com duas pessoas Foto: Adolfo Maurício / Via WhatsApp

A jovem veio para o Rio para fazer pós-graduação em Farmácia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela já foi jogadora de basquete e, por isso, está acostumada a viver longe da família. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), que informou já ter ouvido os depoimentos de parentes e amigos da jovem.

EXTRA

Comentários

comentários