Parceiros lançam Open Vôlei de Praia na Capital

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A manhã de ontem (1º), no gabinete da governadoria de Mato Grosso do Sul, foi de lançamento da etapa Campo Grande do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open. A Cidade Morena sedia, em setembro, a primeira das seis etapas pós Rio 2016. Governo do Estado, Fundesporte, Banco do Brasil, Confederação Brasileira de Voleibol e Federação de Voleibol de Mato Grosso do Sul são parceiros na iniciativa.

A Capital de Mato Grosso do Sul será, por uma semana, a Capital nacional do vôlei de praia. Cerca de 70 duplas devem passar pelas areias do Parque das Nações Indígenas, em duas competições. Entre 19 e 21 de setembro, as partidas são pelo circuito nacional. De 22 a 25, as melhores duplas do Brasil, segundo ranking da CBV, brigam pelo título do Open.

O público terá a oportunidade de ver as estrelas de Mato Grosso do Sul jogando em casa. Thalita, candidata ao ouro olímpico; Benjamin, que disputou os jogos de Atenas, em 2004; Saymon, destaque do Circuito Mundial e brasileiro e Victória, campeã mundial Sub-19 mostrarão talento e habilidade numa arena com capacidade para 950 pessoas sentadas. Uma megaestrutura que inclui quatro quadras oficiais, duas externas e uma social será especialmente montada. Tudo com entrada franca e distribuição de brindes ao público.

A competição é organizada pela CBV e tem o Banco do Brasil como principal patrocinador. Para receber a etapa, Campo Grande teve o empenho do governador do Estado, Reinaldo Azambuja, do secretário de Estado de Administração Carlos Alberto de Assis, do diretor-presidente da Fundesporte Marcelo Miranda e do presidente da FVMS José Eduardo Amâncio da Mota. A proposta foi encampada pela superintendência local do Banco do Brasil e aceita pela CBV.

“Atendemos uma reivindicação da FVMS e um pedido do governador do Estado. O trabalho desenvolvido no vôlei de praia, em Mato Grosso do Sul é louvável. Thalita deve ser medalhista olímpica. Benjamin já fez história, Saymon e Vitória estão começando carreiras brilhantes. É uma satisfação estar aqui. Esperamos fazer uma grande festa”, disse o vice-presidente da CBV, Neuri Barbieri. “Estamos felizes com mais essa parceria com o Governo do Estado porque estimula a prática esportiva, o turismo e os negócios e divulga o Estado. Esperamos que todos aproveitem o que o evento tem de melhor”, completou o superintendente estadual do Banco do Brasil, Evaldo Emiliano de Souza.

Desde 2010, Mato Grosso do Sul não sedia a principal competição de vôlei de praia do país. O retorno foi comemorado como o primeiro de muitos. “Após seis anos, Mato Grosso do Sul volta a receber um evento desse porte. Isso graças ao empenho pessoal do governador e de todo o Governo do Estado. Essa iniciativa serve como prova de nossa intenção de colocar MS de volta ao cenário dos grandes eventos esportivos. Queremos construir junto com as entidades esse projeto. O esporte transforma vidas, tira crianças das ruas, forma ídolos, fomenta a economia e o turismo”, disse o diretor-presidente da Fundesporte.

O presidente da FVMS ressaltou a importância da participação do Governo do Estado para que eventos esportivos ocorram em Mato Grosso do Sul. “Sem esse apoio não conseguimos realizar nossas competições, nem receber grandes jogos. Esses eventos são caros. Os recursos do Fundo de Investimentos Esportivos (FIE) são fundamentais para realizarmos jogos e descobrirmos talentos. Todos os atletas que hoje se destacam no cenário nacional e mundial saíram de nossas competições domésticas. Mas para continuarmos crescendo e recebendo eventos de grande porte precisamos de melhor infraestrutura”.

O governador do Estado concordou e reafirmou o compromisso com o esporte. “Estamos na luta pela estruturação de nossos espaços esportivos. Temos total interesse em revitalizar o Guanandizão, aportar recursos e utilizá-lo em grandes eventos. Queremos fortalecer o FIE para enraizar o esporte nas categorias de base, despertar talentos para dar suporte para que outros alcancem o patamar dos atletas que hoje nos representam “, disse Reinaldo Azambuja.

Comentários

comentários