Papa diz que caminho da Igreja é “o da franqueza”

O papa Francisco disse hoje (13) que “o caminho da Igreja é o da franqueza”. “Não se pode calar aquilo que se viu e ouviu”, acrescentou o pontífice.

Papa Francisco Foto Divulgação
Papa Francisco Foto Divulgação

Em homilia, na missa matinal, na Casa de Santa Marta, o papa declarou que Igreja Católica tem de “dizer as coisas com liberdade”. A homilia ocorre um dia depois de Francisco ter lembrado “o atroz extermínio” do povo armênio, episódio que cumpre o primeiro centenário, e que o papa considerou “o primeiro genocídio do século 20”.

Segundo a agência France-Presse, o papa João Paulo II usou o termo “genocídio” num documento assinado em 2000 com o patriarca armênio, mas esta é a primeira vez que um papa fala publicamente do assunto.

Milhares de armênios foram deportados e massacrados pelo império otomano durante a 1ª Guerra Mundial, fatos reconhecidos como genocídio por mais de 20 países, mas nunca pela Turquia. “A mensagem da Igreja é a mensagem do caminho da franqueza, do caminho do valor cristão”, disse hoje o papa.

Doze dias antes do centenário do “martírio armênio”, as palavras do papa Francisco sobre a tragédia de 1915 e 1917 desencadearam protestos das autoridades da Turquia, com medidas diplomáticas, como a chamada para consultas do embaixador turco no Vaticano.

Segundo a Armênia, 1,5 milhão de pessoas foram perseguidas e mortas. Para a Turquia, o número de armênios mortos não supera os 500 mil.

AGÊNCIA BRASIL

Comentários

comentários