Palmeiras cai no ‘grupo da morte’ no Paulistão, já estreante pode ser cortado

A FPF (Federação Paulista) e os clubes participantes do Estadual definiram nesta quinta-feira o chaveamento dos quatro grupos da 1ª fase.

Palmeiras e Ponte terão companhia do campeão estadual de 2014. Dois se classificam (Foto: Folha Press)
Palmeiras e Ponte terão companhia do campeão estadual de 2014. Dois se classificam (Foto: Folha Press)

Palmeiras, Ponte Preta e o campeão estadual de 2014, o Ituano, estão na mesma chave (grupo B).

O São Bernardo e Novorizontino completam a chave B. Os quatro grandes (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo) foram cabeças de chave.

A única indefinição fica por conta da presença do Água Santa. O clube de Diadema tem até 23h59 desta quinta-feira para comprovar a capacidade de 10 mil pessoas de seu estádio com um laudo. Caso não aconteça, o Mirassol fica com a vaga.

São cinco times por grupo. Dois avançam para a etapa seguinte. Ao todo, serão 15 rodadas na etapa classificatória. Equipes da mesma chave não se enfrentam nesta fase.

Será conhecida nesta quinta-feira à tarde o regulamento do torneio. O critério de rebaixamento é o tema que gera maior análise dos 20 times presentes.

Os clubes grandes pressionam para que sejam seis rebaixados e apenas dois promovidos à elite. O Estadual de 2017, portanto, seria composto por 16 equipes.

A redução de participantes é uma reivindicação dos grandes de São Paulo, que pedem intervalo maior de jogos. Serão debatidas nesta quinta, na sede da FPF, três propostas para o torneio de 2016: subir quatro clubes e cair quatro clubes; subir dois e cair quatro; e cair seis e subir dois clubes.

Em edições anteriores, quatro times caíam, substituídos por quatro times vindos da A-2.

O torneio começa em 31 de janeiro e definirá seu campeão em 8 de maio.

28 jogadores por time

A organização do torneio manteve o limite de 28 atletas inscritos por clube. Na edição deste ano, a restrição foi bastante contestada pelos treinadores dos grandes durante toda a competição.

Tite, por exemplo, reclamou que a limitação impedia equipes de promoverem jovens valores, ferindo uma tradição de novos talentos apresentados em Campeonatos Paulistas.

Com a manutenção do limite de 28 atletas por time, a Federação inibe a utilização de “mistões” (times recheados de reservas), prática comum entre clubes grandes em fase classificatória. Só serão permitidas trocas nas inscrições com comprovações médicas.

Comentários

comentários