Paciente em MS tem ‘pano’ esquecido dentro do abdômen após cirurgia

Após cirurgia de retirada da compressa da paciente (Foto: Rádio Caçula)

O fato é absurdo, não é novo em Mato Grosso do Sul, como por todo o Brasil, felizmente não é ‘diário’, mais também pela gravidade acontece “até muito”, e, como sempre fica a palavra da empresa a duvidar do fato, que sua equipe, deixou algum produto dentro do corpo de uma pessoa, após cirurgia de alta complexidade. A vitima desta vez foi a senhora Maria José Flores Melin, 56 anos, no município de Três Lagoas, a 338 km de Campo Grande. Ela teve uma compressa cirúrgica deixada dentro da barriga após uma operação de reconstrução intestinal, realizada no CDC (Centro de Cirurgia e Diagnóstico). O procedimento foi realizado no dia 17 de dezembro, mas o erro só foi descoberto nesta semana e a remoção do material foi feita na terça-feira (10), por outra equipe medica.

Em nota, o CDC aponta e ratifica o que seu médico-cirurgião, que fez os procedimentos, repassou a família da paciente, que nada ocorreu de errado na cirurgia e que dona Maria foi assistida e acolhida a todo momento. O caso na cidade foi noticiado pela Rádio Caçula, que relatou que a filha da paciente havia desconfiado que algo não havia saído como o planejado durante a cirurgia, pois o ferimento não cicatrizava e a mãe desde que saiu do hospital, sentia fortes dores.

Conforme a filha, Maria compareceu ao CDC, por cinco dias seguidos e seguintes a cirurgia, para refazer o curativo. Mas, a partir do dia 23 de dezembro, a unidade entrou em recesso e o procedimento foi realizado em casa, quando, mesmo a filha não sendo da área da Saúde, viu por uma abertura na sutura, o que parecia ser um pedaço de pano. “O fato foi informado aos médicos que atendiam a minha mãe, mas eles diziam que nada havia sido esquecido dentro dela e que se tratava de um pedaço de gaze que deveria ser retirado posteriormente”, contou a filha.

Nesta semana, ao refazer novamente o curativo, a enfermeira responsável notou que havia algo estranho com a ferida e acionou o médico de plantão, que por sua vez viabilizou imediatamente uma cirurgia para retirada do material.

Complicações

A Rádio Caçula, revela que obteve o atual prontuário de dona Maria, que diz que ela desenvolveu um quadro de infecção pós-cirúrgica após a reconstrução intestinal, tendo sido encontrado dentro da abertura abdominal um material “com aspecto de compressa cirúrgica”, sendo a paciente encaminhada para avaliação detalhada.

E ainda, o médico responsável pela atual operação, que retirou o “corpo estranho”, disse à emissora que o pano estava abaixo da ferida operatória e não na cavidade, como informou o documento de internação, ou seja o que foi apontado de inicio no CDC.

Contudo, ele afirmou que o material pode ter sido deixado durante os procedimentos de limpeza e curativo. A cirurgia, na avaliação dele, foi bem sucedida e ajudou a mulher a viver mais dignamente.

Comentários