Outubro Rosa: Há cura para câncer de mama, mas tratamento precisa começar cedo, diz oncologista

O mês de outubro trouxe, a já tradicional, Campanha nacional Outubro Rosa que alerta mulheres a se prevenirem contra o câncer de mama. Para explicar a importância desse cuidado, o médico oncologista Dr. Cesar Galhardo, durante entrevista ao Tribuna Livre, destacou diversos pontos que devem ser considerados sobre a doença.

Só em 2019, de acordo com dados no Ministério da Saúde, 59.700 casos de câncer de mama foram registrados. Essa é, nas palavras do especialista, “uma triste realidade”, e ressaltou que mesmo com informações e conhecimentos, “as taxas de sucesso não são o que gostaríamos”.

O recomendado pela Sociedade Brasileira de Oncologia e pela Sociedade Brasileira de Mastologia é que as mulheres com 40 anos de idade façam a mamografia. Já o ministério da Saúde indica que pode ser feito a partir dos 50 anos. Essa diferença se dá porque a pasta da saúde segue a literatura internacional. Vale destacar que o exame de mamografia é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O fator genético (casos na família) também é um sinal de que a prevenção precisa começar o quanto antes. “10% dos casos são genética e o rastreamento deve ser feito 10 anos antes da idade recomendada e anualmente até os 70 anos”, disse o Dr. Galhardo.

O especialista em oncologia frisou que embora seja importante o autoexame, isso não substitui a mamografia. “É um dos poucos exames que diminui a taxa de mortalidade”.

Ainda conforme o médico, alguns hábitos como tabagismo, consumo de álcool, e até a obesidade, podem influenciar no aparecimento do câncer de mama. Ele também disse que há muitas fake News (notícias falsas) entorno dessa doença. Diante disse, o especialista enfatizou que o câncer de mama tem cura, mas uma vez diagnosticado, o tratamento deve começar o mais rápido possível.

CLIQUE AQUI para conferir a entrevista!

Comentários