Outubro Rosa começa com o mês principal de combate ao câncer de mama

Lúcoio Borges

Nesta segunda-feira, 1º de outubro, primeiro dia do mês, o País dá início à tradicional campanha mundial “Outubro Rosa”, que visa o enfrentamento e a conscientização da doença. A ação mostra ou ressalta ainda mais, neste período, que a prevenção faz aumentar as chances de cura e contribui na redução da mortalidade por meio do diagnóstico precoce, já que no estágio inicial as chances de cura são maiores. Durante todo mês de outubro, diversas instituições, públicas e privadas, disponibilizam exames gratuitos para encorajar as mulheres a tratar qualquer problema precoce.

As unidades básicas de saúde (UBS/UBSF) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande vão intensificar as ações de conscientização, prevenção e a importância do diagnóstico precoce da doença, que é o segundo mais recorrente no mundo, perdendo apenas para o de pele. Em 2017 foram registrados 95 óbitos por câncer de mama na Capital, enquanto que até o primeiro semestre de 2018, foram 46. Já em relação ao câncer do colo de útero foram 35 no ano passado, contra 15 em 2018.

Os últimos dados completos oficiais de todo Mato Grosso do Sul, são de 2016, onde o câncer de mama matou 180 mulheres no Estado, sendo 87 só em Campo Grande. O segundo tumor mais comum entre o sexo feminino, no Brasil e no mundo, apresenta incidência de 830 novos casos da doença no Estado para cada 100 mil habitantes, conforme estimativa 2018 e 2019, publicada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Estima-se que no País surjam 57.900 novos casos de 2018 a 2019, de acordo com dados do Inca. Em 2016, mais de 16 mil mulheres morreram vítimas de câncer de mama no Brasil, segundo dados do Datasus. O câncer de mama também pode acometer homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

Quando chega

Nas mulheres o câncer é mais comum após os 35 anos, especialmente, depois da faixa etária dos 50. Estatísticas indicam aumento da doença nos últimos anos, tanto em países desenvolvidos, como nos países em desenvolvimento. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros não. A maioria dos casos tem bom prognóstico.

Com o objetivo de aumentar o diagnóstico precoce da doença, o Ministério da Saúde, por meio do Inca, recomenda a realização periódica do exame de mamografia (a cada dois anos ou conforme critério médico), a mudança de hábitos alimentares, a prática de atividades físicas, além de evitar o consumo de álcool e cigarro.

Atividades divulgadas pela Sesau

No decorrer do mês nas UBS/UBSF serão desenvolvidas atividades intensificando o tema, sensibilizando a comunidade em relação aos cuidados e a prevenção do câncer de mama. Estas atividades incluem, rodas de conversa, realização de exames em horários alternativos, atividade física direcionada, momentos de descontração com ênfase na autoestima. Para saber mais sobre a programação, a orientação é procurar a unidade básica de saúde mais próxima da residência.

A SESAU tem fornecido materiais informativos para distribuição à comunidade, setores públicos das demais secretarias, escolas e empresas privadas.

As mulheres de 25 a 64 anos devem realizar o exame preventivo do Câncer de colo do útero e todas as de 50 a 69 anos, a mamografia. O agendamento é realizado na unidade básica de saúde próximo à residência.

Comentários